Revolta no PT: deu chabu depois do encontro de Zeca Dirceu com Rafael Greca

► Petistas falam em expulsar filho do ex-ministro José Dirceu por infidelidade partidária

► “Encontros secretos” de Zeca Dirceu com a direita causam revoltas no PT

►’Pode surgir chifre nesse trisal’, adverte Obama das Araucárias

Os petistas paranaenses entraram em polvorosa com um novo encontro do deputado Zeca Dirceu (PT-PR), em meio à batalha eleitoral, com adversários de Lula, Requião e do PT no Paraná.

– Hoje fui recebido pelo prefeito da nossa capital Curitiba, Rafael Greca – publicou Zeca Dirceu no Facebook sexta-feira (1º/07) à noite. “Relembrei minha gestão de prefeito e também falamos sobre as eleições e os desafios da capital e do Brasil.”

Greca é filiado no PSD, mesmo partido que o governador do Paraná cessante Ratinho Junior (PSD).

Ratinho Junior é ‘carne e unha’ com o presidente também cessante Jair Bolsonaro (PL).

– Sigo firme no meu propósito de servir a todos os municípios do Paraná e também de ajudar na organização da pré-campanha do Lula, ampliando ao máximo os diálogos – despistou Zeca Dirceu, ao publicar nas redes sociais uma foto ao lado o prefeito curitibano.

A revolta no PT ganhou corpo nos grupos de WhatsApp, segundo informaram mililtantes petistas ao Blog do Esmael.

Zeca Dirceu e Rafael Greca
Zeca Dirceu e Rafael Greca tiveram “encontro secreto” em Curitiba, segundo petistas. Foto: divulgação

Na semana que vem, um grupo vai pedir à direção estadual do PT a cassação da pré-candidatura de Zeca Dirceu por “infidelidade partidária” – a tradicional pulada de cerca.

O argumento dos que querem a expulsão de Zeca é que o parlamentar tem “traído” o partido com a direita, adversários do PT, em um momento de guerra política.

A pretexto de comemorar seu aniverário de 44 anos, Zeca Dirceu também confabulou há duas semanas com o deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, num restaurante de Brasília, enquanto Lira propunha a cassação o mandato do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), por quebra de decoro, na Comissão de Ética.

Numa das discussões na Câmara, o deputado do PSOL perguntou a Lira se ele não tinha “vergonha na cara” por propor a retirada o controle acionário da Petrobras das mãos do governo.

O Blog do Esmael anotou que o encontro entre Zeca e Lira causara desconforto no PT, que petistas paranaenses ligaram esse fato à agenda secreta de Zeca Dirceu e seu pai, o ex-ministro José Dirceu, com o governador do estado Ratinho Junior (PSD) em novembro do ano passado.

– Arthur Lira, Ratinho Junior e agora Greca. PQP, assim não dá! – desabafou um influente militante do PT na capital do Paraná.

– Zeca Dirceu não esconde de ninguém que sonha ser candidato a prefeito de Curitiba. Ele cogita mudar seu domicílio eleitoral e, possivelmente, cantou Greca para apoiá-lo em 2024 [quando haverá eleição municipal] – analisou o “paranoico” petista curitibano. “Será que Zeca Dirceu irá se filiar no partido de Ratinho e Greca?”, questionou ele ainda.

Pelo andar da carruagem, o vice-prefeito Eduardo Pimentel (PSD) deve colocar a barba de molho.

‘Pode surgir chifre nesse trisal’, adverte Obama das Araucárias, um dos principais filósofos da política paranaense.

Resumo da ópera: deu chabu no PT, depois do encontro de Zeca Dirceu com Rafael Greca.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.