Revista inglesa ‘The Economist’ conseguiu fortalecer Mantega

do Brasil 247

O desempenho da economia não foi dos melhores no último trimestre e a presidente Dilma ficou irritada quando soube dos números. Mas agora é que o ministro da Fazenda não cai mesmo. Nesta sexta-feira, a própria presidente, o ministro forte do governo, Fernando Pimentel, o homem forte do PT, José Dirceu, e o colunista da Folha de S.Paulo Clóvis Rossi saíram em sua defesa.
Guido Mantega já deve ter se acostumado com os rumores e as pressões pela sua saída do Ministério da Fazenda, que se intensificaram neste ano (relembre). Desta vez, contudo, a pressão veio de fora, por reportagem da revista britânica ‘The Economist’, que condicionou a reeleição da presidente Dilma Rousseff à  troca de sua equipe econômica. Mas as críticas da prestigiosa publicação não parecem ter abalado o ministro dentro do governo. Pelo contrário: a opinião da revista estrangeira aparentemente fortaleceu o ministro.

O primeiro a sair em defesa de Mantega foi o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel. No dia em que a Economist nomear ministro no Brasil, deixaremos de ser uma república federativa!, disse Pimentel, talvez o ministro mais próximo da presidente Dilma Rousseff — os dois militaram juntos no movimento estudantil. Pimentel disse ainda que, em 2013, o crescimento do PIB brasileiro estará certamente acima da média mundial! (leia mais aqui).

Os comentários da revista também fortaleceram Mantega no PT. Condenado na Ação Penal 470, o ex-ministro José Dirceu interpretou a sugestão da ‘Economist’ como uma manifestação britânica contra o governo Dilma. “Desrespeito à  parte, isso tudo é conversa fiada da Economist. Eles que demitam seu ministro de Finanças já que a Grã-Bretanha não cresce e o governo interveio com tudo na economia para salvar os bancos e a libra esterlina. Aqui o Governo quem exerce somos nós”, escreveu em seu blog (leia aqui).

Para completar, o colunista Clóvis Rossi, da Folha de S.Paulo, se uniu ao coro dos defensores de Mantega, em artigo intitulado “Fica, Mantega, fica”. “Os argumentos para justificar o pedido [de substituição] são de uma pobreza espantosa em se tratando de uma publicação de altíssima qualidade, goste-se ou não de suas opiniões”, escreveu Rossi, que questiona: “O que a Economist quer? Que Mantega baixe uma Medida Provisória proibindo os consumidores de se desendividar? Beira o ridículo”.

Veja também  Notícias ao vivo da Covid: 1.986 mortes em 24h, segundo o Conass

Com potencial para aumentar a pressão sobre o ministro, o material publicado pela ‘Economist’ acabou revelando defensores e pode até contribuir para facilitar a vida do tão criticado Mantega.

Comments are closed.