Requião Filho: Copel, um blecaute de gestão

O deputado Requião Filho (PMDB) alerta em sua coluna, nesta terça-feira (30), o perigo de apagão, da privatização e até da perda de concessão para a Copel operar na geração e distribuição de energia. “A gente não pode deixar o Paraná correr o risco de parar e ficar às escuras por causa de uma gestão irresponsável e incompetente [Beto Richa]”, conclama o colunista.

Copel, um blecaute de gestão

Requião Filho*

Quando a gente fala em Copel sente um orgulho imenso por tratar-se de uma grande companhia, geradora de energia, pública e, principalmente, por ser paranaense!

Mas o que faz uma empresa dar certo e ser referência em todo Brasil é um conjunto de ações. A principal delas é uma boa gestão. Mas isso não é o que está acontecendo com a nossa Copel!

A empresa vem apresentando falhas graves, desde o seu planejamento à manutenção das linhas de transmissão, investimentos necessários para garantir a atualização do sistema.

Mas nem sempre foi assim.

Quando Requião foi Governador pegou a empresa cheia de dívidas e logo consolidou uma política de gestão que, em pouco tempo, fez os lucros darem um salto.

Tudo isso com investimentos, repasse honesto aos acionistas em 25% e o principal: tarifa baixa!

Era um governo que se preocupava com o social, com as pessoas, com o bolso do consumidor. E ainda assim, tínhamos uma reserva de lucros que nos permitiu passar pelos mais diversos desafios econômicos.

Mas olha só o que aconteceu logo depois que ele deixou o Governo e passamos a ter uma nova gestão.

Os investimentos foram reduzidos. Os lucros se mantiveram estáveis, porém sangrando o bolso dos consumidores. Sim, houve um aumento violento nas contas de luz!

Veja também  O Lockdown e o pequeno comerciante, por Requião Filho

Mas se você pensa que este aumento na arrecadação foi para aquela reserva técnica, que evita e resolve problemas e traz novos investimentos, muito se engana! O que houve foi um aumento no repasse dos lucros aos acionistas, chegando a 50% durante dois anos seguidos. Ele dobrou 100% o valor do repasse, acima do limite permitido por lei.

Precisava tudo isso?

Infelizmente, estamos vivendo uma gestão voltada apenas para o lucro dos acionistas. Hoje em dia, se tivermos um novo apagão, que recursos teríamos para dar a volta na crise energética?

Sim, meus amigos, estamos à beira do caos! Estão querendo sucatear nossa empresa pública e privatizar nossa companhia que sempre foi motivo de orgulho para o Paraná. E se não for bem gerida, a Copel corre o risco de perder a concessão de distribuição de energia do Governo Federal.

Recentemente, eles renovaram esta concessão, mas com ressalvas. A ANEEL exigiu o cumprimento de vários requisitos para a manutenção da qualidade e do bom fornecimento aos consumidores, incluindo tarifas sensatas e condizentes com o que é entregue à população.

As análises dos números estão aí na nossa frente, todos os dias, nos cadernos de economia dos jornais. Mas quem dá bola pra isso? Tem tanta corrupção roubando a cena que fica até difícil elencar o que é mais grave por primeiro.

Está na hora de agir! Estamos no limite.

Chega de escândalos, de dinheiro desviado na educação, na receita estadual e em tantas outras sujeiras, varridas para debaixo do tapete como se fossem crises temporárias e insignificantes.

A gente não pode deixar o Paraná correr o risco de parar e ficar às escuras por causa de uma gestão irresponsável e incompetente.

Veja também  Máfia do pedágio em discussão na OAB; audiência pública pode indicar encampação de rodovias

*Requião Filho é deputado pelo PMDB do Paraná.

Comments are closed.