Ratinho Junior pode sofrer mais uma baixa na campanha pela reeleição em 2022

Ratinho Junior pode sofrer mais uma baixa na campanha pela reeleição em 2022

Google News

Cidadania, o antigo PPS, começou a formar uma federação partidária com o PSDB

A Lei de Murphy ronda o Palácio Iguaçu. Segundo o adágio, qualquer coisa que possa ocorrer mal, ocorrerá mal, no pior momento possível. Que o diga o governador Ratinho Junior (PSD), que pode sofrer mais uma baixa na sua campanha pela reeleição em 2022.

O Cidadania, antigo PPS, intensificou discussão nacional para formar federação partidária com o PSDB.

No Paraná, os tucanos preferiram voo solo a marchar com Ratinho enquanto o Cidadania tem como deputada Cristina Silvestri, mãe do pré-candidato do PSDB ao Palácio Iguaçu, Cesar Silvestri Filho, egresso do Podemos.

O Cidadania tem três deputados estaduais na Assembleia Legislativo Paraná (ALEP), além de Cristina, Terício Turini e Douglas Fabrício. Na Câmara, a agremiação tem Rubens Bueno.

Uma vez federalizada a associação, PPS e PSDB passarão a ter mesmo programa e mesmos objetivos pelos próximos 4 anos. Enfim, terão uma disciplina verticalizada sob pena de punição exemplar com perda de mandatos, horário eleitoral e fundo partidário.

Além do Cidadania, neste início de ano, Ratinho Junior já perdeu o PSDB, que lançará Silvestri Filho ao Palácio Iguaçu e o PSL, que lançará o deputado federal Filipe Barros ao governo do estado –nome de confiança do presidente Jair Bolsonaro (PL).

A bancada bolsonarista tem ao menos seis deputados na ALEP.

Paraná tem quatro nomes na disputa ao Governo

A corrida pelo Governo do Paraná conta atualmente com quatro pré-candidatos:

    • César Silvestri Filho (PSDB), ex-prefeito de Guarapuava
    • Roberto Requião (sem partido), ex-governador e ex-senador
    • Filipe Barros (PSL), deputado federal
    • Ratinho Junior (PSD), governador

Deu a louca na torcida de Ratinho Junior

Veja também  Presidente do MDB, Baleia Rossi, sinaliza com apoio ao impeachment de Bolsonaro