Rafael Greca assinou ficha no PSD de olho em cargo no governo Ratinho Junior

Sonhando com o cargo de Secretário de Estado da Comunicação Social num eventual próximo governo, o prefeito de Curitiba Rafael Greca assinou neste sábado (25/06) ficha de filiação no PSD do governador cessante Ratinho Junior (PSD).

Greca já ocupou a pasta da Comunicação Social no governo de Jaime Lerner, entre 2000 e 2002, quando o atual prefeito pilotou uma desastrosa campanha pela privatização da estatal de energia – despertando o movimento popular ‘Contra a Venda da Copel’, que na época reuniu 429 entidades da sociedade civil.

Pois bem, a filiação de Greca no PSD também é uma promessa futura de espaço no governo de Ratinho Junior cujo cumprimento dependerá das urnas, qual seja, eles ainda precisam combinar com os “russos” [eleitores] – como diria Garrincha.

O prefeito curitibano também precisará fazer uma contrapartida, isto é, deixar o cargo antes do fim do mandato para o vice Eduardo Pimentel (PSD).

Pimentel espera organizar sua própria equipe para tentar a reeleição em 2024.

De olho na possível futura pasta, Greca falou sobre seu ingresso no PSD: ‘somamos ao partido que hoje tem a maior quantidade de prefeitos eleitos no Paraná, nosso estimado vice-prefeito Eduardo Pimentel e o governador Ratinho Júnior’.

A Secretaria de Estado de Comunicação Social, em 2022, tem orçamento estimado de R$ 161 milhões, segundo o deputado Requião Filho (PT).

Greca não será candidato na eleição de 2022 porque ele não se desincompatibilizou no prazo previsto pelo TSE.

O prefeito da capital foi eleito pelo PMN e ingressou no DEM, antes de associar-se ao PSD. Ele ainda já foi filiado no PDS, PDT, PFL e PMDB.

O ato de filiação de Rafael Greca reuniu os seguintes líderes, que apoiam a reeleição do presidente cessante Jair Bolsonaro (PL):

► Ratinho Júnior, governador do Paraná e presidente estadual do PSD
► Darci Piana, vice-governador do Paraná
► Eduardo Pimental, vice-prefeito de Curitiba
► Cida Borghetti, ex-governadora do PT e conselheira da Itaipu
► Ricardo Barros, líder do governo Bolsonaro na Câmara
► Maria Vitória, deputada estadual
► Lucas Navarro, assessor especial de articulações políticas da PM de Curitiba
► Fuad Jorge Noman, prefeito de Belo Horizonte
► Topázio Neto, prefeito de Florianópolis
► Gustavo Henric Costa, prefeito de Guarulhos
► Nelsinho Trad, senador do Mato Grosso do Sul
► Márcio Nunes, deputado estadual

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, e o deputado Luiz Claudio Romanelli (PSD) eram uns dos poucos presentes que não se somam ao bolsonarismo.

Também foram notadas as ausências dos pré-candidatos ao Senado, indicando que é grande a fissura nos grupos do governador Ratinho Junior e do presidente Bolsonaro.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.