Putin alerta que expansão militar na Finlândia e Suécia ‘exigiria reação’

Vladimir Putin disse que a Rússia não tem problemas com a Finlândia e a Suécia, mas que a expansão da infraestrutura militar em seu território exigiria uma reação de Moscou, à medida que os países nórdicos se aproximam da adesão à Otan.

Putin, falando em Moscou em uma cúpula da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO), liderada pela Rússia, disse que a expansão da Otan é um problema para a Rússia e que ela deve examinar atentamente o que ele disse serem os planos da aliança militar liderada pelos EUA para aumentar sua influência mundial.

A sessão programada para coincidir com o 30º aniversário do Tratado de Segurança Coletiva e o 20º aniversário da Organização contou com a presença dos chefes da Rússia, Armênia, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão e Tadjiquistão.

O presidente russo Vladimir Putin recorreu à história na tentativa de dissuadir o país nórdico a ingressar na aliança militar ocidental.

Segundo Putin, a Finlândia lutou ao lado da Alemanha nazista e que o país vizinho foi poupado pela antiga União Soviética em troca da neutralidade militar.

Putin acredita que os finlandeses têm essa dívida com os russos, que fora acordada em 1945, há 77 anos, no fim da Segunda Guerra Mundial.

Com a Finlândia anunciando sua intenção de se candidatar à OTAN, o partido no poder da Suécia espera fazer o mesmo.

Veja também  Derrota de Trump é também uma vitória de George Floyd