PSOL também entra na fila para impugnar candidatura de Sergio Moro; confira a ação na Justiça Eleitoral

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), por meio do Coletivo Ekoa, entrou esta semana com uma ação na Justiça Eleitoral para impugnar a candidatura de Sérgio Moro ao senado pelo Paraná.

A tese do Coletivo Ekoa é de que a anulação da mudança de domicílio eleitoral para São Paulo torna, obviamente, todo ato político/jurídico realizado naquela capital também nulo, inclusive sua “filiação” ao União Brasil. Nesse sentido, Sérgio Moro estaria sem partido para concorrer ao pleito.

Thiago Bagatin, um dos cocandidatos do Ekoa, explica que “com a Lava Jato, Moro tentou se autodenominar arauto da moralidade e da justiça, porém sua máscara vem caindo gradativamente. O povo paranaense já percebeu que Moro fraudou o processo contra Lula e vem tentando construir sua carreira política na base da fraude, com cargo no governo que ajudou a eleger enquanto juiz, mudança irregular pra São Paulo, filiação que não existe etc…”

Para Ana Vitória, advogada que impetrou a ação, a chance de impugnação da candidatura de Moro é “quase certa, visto que a própria defesa de Moro, em ação anterior, admite que o domicílio eleitoral não chegou a ser transferido para São Paulo, logo todo ato realizado naquela capital não tem validade jurídica”.

Até o presente momento a justiça eleitoral ainda não se manifestou.

Economia

A ação do PSOL ocorreu após Sergio Moro ameaçar dirigentes partidários que ingressarem na Justiça para impugnar-lhe a candidatura ao Senado.

Clique aqui para ler a íntegra da peça jurídica movida pelo Coletivo Ekoa.

PT mantém pedido de impugnação de Moro, diz Arilson Chiorato

Antes do PSOL, uma filiada do União Brasil ingressou com pedido administrativo para anular a filiação de Moro e o PT também questiona a lisura da candidatura do ex-juz da finada Lava Jato.

O presidente do PT no Paraná, deputado Arilson Chiorato, pelo Twitter, disse nesta sexta-feira (12/08) que o pedido de impugnação da candidatura do ex-juiz permanece tramitando na Justiça Eleitoral.

Segundo o dirigente petista, tentativas de intimidação por parte de Moro contra o PT não serão aceitas.

Chiorato se referiu à notificação extrajudicial enviada pelo ex-juiz para todos os partidos políticos do Paraná.

– Há provas de que ele está inelegível e não apenas convicção – afirmou Chiorato, que ainda contestou a versão de Moro de que há má-fé no pedido de impugnação.

– “Má-fé” é a perseguição política promovida por Sergio Moro contra o ex-presidnete Lula – devolveu o presidente do PT paranaense.

Arilson Chiorato reagiu a uma notificação extrajudicial do ex-juiz da Lava Jato ameaçando os presidentes de partidos políticos de processo na Justiça Eleitoral, caso eles tentem impugnar sua candidatura ao Senado.

O PT questiona na Justiça o não preenchimento dos requisitos legais para a candidatura de Moro, dentre os quais domicílio eleitoral seis meses antes da eleição e com filiação no partido deferido no prazo previsto pela legislação.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

LEIA TAMBÉM