Por que me rejeitas, gajo?

O primeiro pelotão na disputa pela prefeitura (Ducci, Fruet, Ratinho e Greca).
Na reta final destas eleições dois fatos chamam a atenção e causam preocupação nas coordenações das campanhas em Curitiba: 1) o alto índice de rejeição de candidatos e 2) o grande número de indecisos.

Segundo o Datafolha, divulgado na última quinta-feira (27), 29% dos eleitores não votariam de jeito nenhum no prefeito Luciano Ducci (PSB), que tenta a reeleição.

Por outro lado, Rafael Greca (PMDB), que desceu o chinelo em Ducci, viu sua rejeição cair pela primeira vez. Em segundo lugar nesse quesito, 26% dos eleitores não querem saber do candidato mais fofo! destas eleições.

Os demais candidatos têm as seguintes taxas de rejeição: Ratinho (23%), Alzimara (19%), Avanilson (17%), Bruno Meirinho (15%), Gustavo Fruet (13%).

A queda na taxa de rejeição e o concomitante crescimento do índice de Greca nas pesquisas, ainda de acordo com o Datafolha, leva-nos supor que a tese dos marqueteiros segunda qual quem bate perde é falsa. Tão falsa quanto uma nota de três reais.

A cidade de Curitiba, assim como outras grandes, está sujeita ao vira-vira, como bem observou o diretor da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo. Esta semana é decisiva para as campanhas. Eu seria mais fatalista: a semana da morte!.

Na capital, os eleitores entram na reta final com uma certeza e uma dúvida. A certeza: Ratinho Junior (PSC) está praticamente certo no segundo turno. A dúvida: Quem ficará com a segunda vaga, Ducci ou Fruet?

Os institutos de pesquisas calculam que ainda há cerca de 20% de eleitores indecisos. Para onde vão esses votos no dia 7 de outubro? Portanto, caro leitor, e aí que está a chave para a vitória ou derrota de Ducci, Fruet e Greca.

Os comentários estão encerrado.