https://www.esmaelmorais.com.br/wp-content/uploads/2021/03/moro-stf.jpg

Piada pronta: Sergio Moro ameaça processar jornalistas e redes sociais por fake news

Dificilmente o judiciário irá corroborar com a censura prévia almejada pelo ex-juiz Sergio Moro

O suspeito ex-juiz Sergio Moro (Podemos) é uma fraude. Quem disse isso foi o Supremo Tribunal Federal (STF), em abril de 2021, ao declarar que o moço da Lava Jato fora um magistrado parcial. Ato contínuo, todas as condenações do ex-presidente Lula acerca do triplex, sítio de Atibaia e Instituto Lula foram anulados e, consequentemente, o petista habilitou-se como candidato ao Palácio do Planalto. Aliás, Lula lidera as intenções de voto e pode vencer no primeiro turno –segundo todos os institutos de pesquisa.

Dito isso, o site Metrópoles, parceiro do Blog do Esmael, anotou na virada do ano que a campanha de Moro busca advogado especializado em combater fake news [sic]. De acordo com o Código Penal, a “autolesão” não é crime, ou seja, Moro é a própria fake news e buscará combater a si próprio. Um horror.

O Metrópoles registrou que Sergio Moro reclamou com os organizadores de sua candidatura que tem sido alvo de mentiras nas redes sociais e pediu a contratação de um advogado especializado em combater fake news. É uma tarefa ingrata para advogado sério e comprometido com a liberdade de expressão.

A Operação Spoofing é a contraprova para as supostas fake news de que Moro reclama no Podemos. Os arquivos à disposição do STF atestam que a ameaça do ex-juiz –de processar jornalistas e redes sociais– é uma piada pronta de mau gosto.

Dificilmente o judiciário irá corroborar com a censura prévia almejada pelo ex-juiz Sergio Moro, que quer evitar o “contato físico” na campanha.

Ora, se Sergio Moro não suporta o “jogo de ombro” deve buscar outro tipo de esporte, não a política, que exige pegada e contato físico.

Perdeu, playboy: STF declara Moro suspeito em todos os processos contra Lula

Leia a íntegra do acórdão do STF que reconheceu a suspeição de Moro

Lula comemora decisão do STF que reconheceu suspeição de Moro

Em novembro de 2016, o ex-juiz Sergio Moro declarou ao Estadão: 'Jamais entraria para a política'; agora reclama do jogo bruto na política
Em novembro de 2016, o ex-juiz Sergio Moro declarou ao Estadão: ‘Jamais entraria para a política’; agora reclama do jogo bruto na política

Sergio Moro nega intenção de disputar o Senado

O ex-juiz Sergio Moro, pelo Twitter, jurou nesta segunda-feira (03/01) que tenha a intenção de disputar ao Senado e, consequentemente, desistir da corrida presidencial deste ano.

A experiente jornalista Carolina Brígido, do UOL, publicou hoje que Moro deve concorrer ao Senado se não decolar nas pesquisas até fevereiro. Ela ainda anotou o ex-juiz estabeleceu o teto de 15% para ser alcançado antes das festas de Momo. Hoje, ele tem apenas 9% nas melhores pesquisas.

A jornalista ainda lembrou que o ex-magistrado precisará ter um mandato no próximo ano, seja ele qual for, para escapar de investigações sobre a consultoria americana Alvarez & Marsal — determinada pelo ministro Bruno Dantas, do TCU (Tribunal de Contas da União). A corte de contas quer saber os serviços prestados e os valores pagos a Moro.

Sobre matéria de hoje do UOL:

1. Sou pré-candidato à Presidência, não ao Senado;
2. Sempre fui contra o foro privilegiado e não preciso de mandato;
3. Não tenho receio de qualquer investigação, muito menos a de Ministro do TCU sobre fato inexistente;
4. A jornalista publicou a matéria sem ouvir a parte envolvida;
5. Estou focado na construção de projetos para o Brasil.