Os bancos e a velha mídia fazem a festa com o FGTS na Eletrobras

► Se trata de um assalto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) dos trabalhadores

Há uma diabólica farra em andamento no país com R$ 6 bilhões dos trabalhadores. Bancos e velha mídia fazem campanha para que eles [trabalhadores] usem o saldo da conta do FGTS na compra de ações da Eletrobras.

Eletrobras anunciou a pré-seleção de instituições financeiras como bookrunners (agentes econômicos) do “sindicato de bancos” que estruturariam a oferta de ações. São catorze abutres de olho na carniça de possíveis microinvestidores.

Os coordenadores líderes são BTG Pactual, Itaú BBA, Bank of America, Goldman Sachs e XP Investimentos. Também participam do sindicato Bradesco BBI, Caixa Econômica Federal, Citi, Credit Suisse, JP Morgan, Morgan Stanley e Safra.

Todos de olho grande sobre os lucros da operação.

Agindo como vendedora, a TV Globo repete insistentemente em seus canais a oferta de ações pela Eletrobras, no entanto, a empresa de comunicação não informa que se trata de um assalto ao FGTS dos trabalhadores.

A propaganda é a alma do negócio.

Bancos e mídia têm interesses cruzados. O sistema financeiro tomou conta dos jornalões e os interesses deles na pauta política e econômica fica evidente nesse caso de agiotagem com o dinheiro dos trabalhadores.

Às custas de conta de luz mais cara, o governo cessante de Jair Bolsonaro (PL) promete o paraíso em caso de privatização da Eletrobras. É dessa forma que a máquina de propaganda neoliberal tenta capturar setores da sociedade brasileira: pelo bolso, prometendo lucros que não pode entregar.

Por essa lógica de mercado e de especulação, alguns trabalhadores ficarão torcendo para que a tarifa de energia suba [sempre] para ele lucrar algumas migalhas. A desgraça de milhões de brasileiros poderá ser a alegria de alguns, que se acham espertalhões.

Veja também  Brasília privatiza companhia de energia em meio à ameaça de apagão

O ex-presidente Lula, líder nas pesquisas de intenção de votos, afirmou várias vezes que irá rever as privatizações – caso elas ocorram. Ele avisou que tem apostar contra as estatais vai perder muito dinheiro.