Nova tragédia no Paraná: policial mata 8 pessoas e depois tira a própria vida em Toledo

► Coronel Hudson relatou que PM tinha dívidas e estava em processo de separação

Há algo de errado na Segurança Pública do Paraná.

Um policial militar matou oito pessoas na madrugada desta sexta-feira (15/07), em Toledo, região Oeste do Paraná.

A tragédia ocorreu menos de uma semana após o policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho invadir a festa para assassinar o guarda municial Marcelo Arruda, dirigente do PT em Foz do Iguaçu, no último domingo (10/07).

Essa nova tragédia envolvendo agente de segurança, o PM foi idenficado como Fabiano Junior Garcia.

O policial tirou a vida de oito pessoas, sendo seis de sua família.

Fabiano tirou a própria vida logo depois de cometer a chacina.

Segundo o site ToledoNews, o PM tirou a vida de dois dos seus filhos menores de idade em uma localidade da área rural da cidade de Céu Azul.

As crianças seriam um menino de aproximadamente 4 anos e uma menina de cerca de 9 anos de idade.

As duas crianças foram executadas com tiros a queima roupa na região da cabeça.

Em seguida, ele se dirigiu a Toledo, onde teria feito mais vítimas em pontos distintos da cidade, a princípio no centro e na região da Grande Pioneira.

Ele tirou a vida da própria mãe, de um irmão e de mais uma filha de 12 anos, além da esposa identificada como Kassiele Moreira.

A mulher foi morta na residência do casal, localizada na Rua Rui Barbosa, na região central da cidade.

O homem ainda matou mais duas pessoas, que a princípio estavam na rua, mas até o momento não existem informações se eram familiares.

Essas mortes aconteceram na Rua Paraíba (Paulista) e outra na Rua Getúlio Vargas (Boa Esperança).

Após a barbárie, ele se suicidou dentro do seu carro, um GM Vectra, de cor branca.

O automóvel foi conduzido até o pátio do 19º Batalhão de Polícia Militar de Toledo (19º BPM).

Diversas equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foram acionadas aos locais, mas puderam apenas constatar os óbitos.

Equipes da Polícia Militar, Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM), Polícia Civil (PCPR) e da Criminalística também estiveram presentes.

As investigações sobre o caso tiveram início e a qualquer momento novidades podem ser divulgadas.

O Instituto Médico Legal (IML) de Toledo recolheu o corpo das vítimas fatais.

A maior parte delas ainda não foi identificada.

Fabiano Junior Garcia atuava como Policial no 19º BPM, lotado no município de Toledo, e estava na Polícia Militar desde 2010.

O Comandante-Geral da PM do Paraná, Coronel Hudson, disse que o policial não apresentava problemas psiquiátricos. “Ele era um bom policial”, disse ele à RPCTV, emissora afiliada da Globo no Paraná.

Hudson ainda revelou que Fabiano tinha dívidas e estava em processo de separação da esposa, que também foi assassinada.

A PM-PR divulgou a seguinte nota:

“A Polícia Militar está consternada e lamenta profundamente o ocorrido nas cidades de Toledo-PR e Céu Azul-PR.

O policial militar que prestava serviços no 19º Batalhão em Toledo não tinha histórico de problemas psicológicos e atuava como motorista do Coordenador do Policiamento da Unidade.

Desde dezembro de 2020 a região conta com o apoio do programa PRUMOS, que disponibiliza atendimento psicológico aos militares, com profissionais contratados para atuar nas Organizações Policiais Militares.”

Portanto, há algo de muito errado na Segurança Pública do Paraná.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.