No Paraná, disputa de 2014 caminha para a polarização entre PT e PSDB

Adversários em 2014, Richa e Glesi polarizam no PR. Fotos: Roberto Custtódio/Wenderson Araújo.
Adversários em 2014, Richa e Glesi polarizam no PR. Fotos: Roberto Custtódio/Wenderson Araújo.
A corrida pelo governo do Paraná, em 2014, já começou neste final de ano e tende esquentar durante 2013. A novidade é que, possivelmente, haverá uma polarização inédita no estado entre PT e PSDB.

A briga pelo Palácio Iguaçu se desenha com duas candidaturas fortes. De um lado o governador Beto Richa (PSDB), que tentará permanecer no cargo, e de outro, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT), que almeja a cadeira do tucano.

A polarização, ao que tudo indica, acontecerá porque o senador Roberto Requião foi retirado da jogada depois de perder a convenção estadual do PMDB para aliados de Richa.

Correligionários de Richa, no entanto, torcem secretamente para que Gleisi permaneça na Casa Civil. Assim, acreditam, conseguem bater mais facilmente qualquer outro adversário !“ incluindo o ex-senador Osmar Dias (PDT).

Richa vai à  reeleição sem o prefeito de Curitiba e sem os principais prefeitos dos grandes centros.

A guerra pela única vaga ao Senado também promete ser cruenta. àlvaro Dias está sob fogo intenso de adversários externos (petistas) e internos (PSDB). O tucano terá ainda que sair do xeque-mate! político para defender sua cadeira.

O PT se assanha pelo Senado. O nome mais provável do partido, hoje, é do deputado federal à‚ngelo Vanhoni. O secretário nacional de Comunicação da legenda, André Vargas, que outrora havia manifestado interesse em disputar a Câmara Alta, deverá focar-se mesmo na Câmara Federal, pois ele foi indicado pelo partido para a vice-presidência da Casa.

O ex-governador Orlando Pessuti (PMDB) também sonha com o Senado. Ele tenta cacifar-se tanto com o PSDB de Richa quanto com o PT de Gleisi. Na mesma situação encontra-se Osmar Dias que aguarda o desfecho do imbróglio envolvendo seu irmão, àlvaro, mas pode jactar-se do fato de seu partido possuir o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet.

Veja também  Missionário R.R. Soares não morreu; ele teve alta médica nesta terça no Rio

Comments are closed.