Nem Auxílio Brasil de R$ 600 salva Bolsonaro, diz pesquisa

A 7ª pesquisa da FSB/BTG Pactual foi uma ducha de água fria na pretensão de reeleição do presidente cessante Jair Bolsonaro (PL).

Segundo o levantamento, nem o Auxílio Brasil de R$ 600 salva Bolsonaro.

De agosto a dezembro, o programa pagará benefício mínimo de R$ 600, conforme emenda constitucional promulgada no último dia 14 pelo Congresso Nacional.

A PEC do Desespero, como ficou conhecida, custará ao erário R$ 41 bilhões até 31 de dezembro.

Além disso, o governo cessante ainda reduziu o ICMS dos combustíveis.

Os estados e a União serão obrigados fazer ajustes fiscais logo após as eleições, isto é, terão de compensar o furo no caixa reduzindo salários de servidores públicos e ampliando impostos e taxas.

A pesquisa do BTG Pactual mandou um duro recado para o inquilino do Palácio do Planalto: o povo não é bobo e não se vende por um prato de comida.

Aliás, o Auxílio Brasil, que sucedeu o programa Bolsa Família, terá o valor de R$ 600 graças à combativa atuação da oposição no Congresso.

Moral da história: o povo está pegando o Auxílio Brasil para comer, mas votando em Lula.

É o que indica a pesquisa.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.