Medo da volta de Lula estampa grandes jornais

do Brasil 247

Folha e Globo tratam o ex-presidente Lula como se ele fosse, de fato, o prefeito de São Paulo em abordagens que reduzem a autoridade de Fernando Haddad; jornal paulista destaca "diretrizes" passadas por Lula; publicação do Rio afirma que Lula colocou em prática a "teoria do poste"; Lula mostrou que está vivo e assustou.
Folha e Globo tratam o ex-presidente Lula como se ele fosse, de fato, o prefeito de São Paulo em abordagens que reduzem a autoridade de Fernando Haddad; jornal paulista destaca “diretrizes” passadas por Lula; publicação do Rio afirma que Lula colocou em prática a “teoria do poste”; Lula mostrou que está vivo e assustou.
Quem é o prefeito de São Paulo? Pela leitura dos grandes jornais brasileiros, seu nome não é Fernando Haddad, que foi eleito com 3.387.720 votos, mas sim Luiz Inácio Lula da Silva. A abordagem da mídia tradicional nesta quinta-feira sobre o encontro entre Lula, Haddad e seus secretários reduz a autoridade do prefeito e a transfere ao ex-presidente, que seria, segundo essa visão, o comandante, de fato, da maior cidade do Brasil.

Na manchete da Folha, informa-se que “Lula se reúne com equipe de Haddad e dá diretrizes”. No Globo, na primeira página, uma ironia na legenda da foto, como se Lula estivesse colocando em prática a “teoria do poste”, seguida da informação “Haddad atento à s dicas do seu mentor”.

Antes mesmo de ser eleito, Haddad já havia deixado claro que teria Lula como um de seus principais conselheiros. “Ele é a maior liderança política do Brasil e seu governo foi um laboratório de políticas públicas bem-sucedidas”, disse Haddad, ao 247, durante a campanha. “Não há por que desprezar essa experiência”. Ontem mesmo, quando indagado sobre o encontro, Haddad disse que convidou o ex-presidente a falar a seus secretários e que ele se colocou à  disposição. Na reunião, Lula recomendou que Haddad e seus assessores fiquem atentos a políticas públicas de inclusão social colocadas em prática no Rio de Janeiro, que ajudaram a diminuir a violência.

O encontro deveria ser encarado com naturalidade, mas Haddad já foi carimbado como poste com apenas uma quinzena de gestão. Talvez porque os grandes jornais tenham descoberto agora que, a despeito de tudo, Lula continua vivo e é um dos principais atores !“ se não, o principal !“ da política brasileira.

Veja também  The Guardian: Bolsonaro rotulado de 'homicida negligente' no planejamento de vacinas do Brasil

Comments are closed.