Marqueteiro de Lula, em 2002, morre Duda Mendonça aos 77 anos. Foto: Stuckart

Marqueteiro de Lula, em 2002, morre Duda Mendonça aos 77 anos

O publicitário baiano Duda Mendonça morreu aos 77 anos, nesta segunda-feira (16/08), no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, depois de dois meses internado em virtude de um câncer no cérebro. Ele foi o marqueteiro do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na eleição vitoriosa de 2022, e responsável pelo bordão “Lulinha, Paz e Amor”.

Em nota, na manhã de hoje, Lula disse que Duda Mendonça foi um gênio da comunicação política. “O seu trabalho na campanha de 2002 já está na história como uma das campanhas mais bonitas e sensíveis da nossa história. Em um momento em que o Brasil sofria com uma crise aguda, racionamento de energia e miséria”, disse.

“Duda Mendonça produziu filmes e mensagens de muita sensibilidade, de que a esperança venceria o medo. Aos seus familiares e amigos, meus sentimentos”, completou o ex-presidente Lula.

“Lamento a morte do baiano Duda Mendonça. Publicitário que teve o seu talento reconhecido no Brasil e no mundo. Meus sentimentos para familiares e amigos”, disse o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Leia também

Lula começa pelo Nordeste sua caminhada de volta à Presidência da República em 2022 [vídeo]

PT articula os governadores Rui Costa e Camilo Santana para o Senado

Centrão vai colocar um pé na canoa de Bolsonaro e outro pé na canoa de Lula em 2022

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, também se manifestou acerca da morte do marqueteiro baiano: “Um dia de tristeza e dor pela morte meu amigo Duda Mendonça, sempre presente e solidário nos momentos mais duros e difíceis que passamos.”

Publicitário de origem (abriu a agência DM9 em 1975, ainda em Salvador, que poucos anos depois teria Nizan Guanaes, seu ex-estagiário, como sócio), Duda estreou no marketing político que lhe daria fama de mago em 1985, quando trabalhou na campanha que elegeu Mário Kertez prefeito de Salvador.

Sete anos depois, foi o marqueteiro de Paulo Maluf, que pela primeira vez se elegeria prefeito de São Paulo por via direta.

Duda também foi personagem fundamental da CPI dos Correios, a do mensalão. Em, agosto de 2005, deu um depoimento explosivo aos senadores, admitindo que recebera pagamentos do PT numa conta no exterior, via caixa 2. A partir dali, terminaria sua relação com o PT. Já internado, Duda recebeu uma visita de Lula, que estava no Sírio para um check up. Foi a primeira vez que se viram em mais de uma década sem se falar.