Lula ironiza vitória de tucano e diz que Serra não dará ‘passeio’

Google News

da Folha.com

Ex-presidente Lula ironiza tucano.
O ex-presidente Lula afirmou a interlocutores que eles estão enganados se pensam que a campanha de José Serra (PSDB) à  Prefeitura de São Paulo será um “passeio”.

O Datafolha aponta o tucano como favorito, com 30%, enquanto Fernando Haddad ainda não rompeu a marca dos 3% de intenções de voto.

Lula ironizou a “empolgação” do PSDB com um candidato escolhido na prévia da sigla com “só” 52% dos votos.

Em conversas reservadas, Lula diz que Serra, apesar de líder das sondagens, tem imagem desgastada e alta rejeição. Para ele, a disputa deste ano privilegia o “novo”.

Sua avaliação não exclui preocupação com a performance de Haddad. O PT desconhece o estilo e o potencial de seu candidato. O baixo desempenho do petista nas pesquisas também não ajuda a atrair adesões de partidos para ampliar o tempo de TV.

Esse é o caso do PSB. Ligada ao PSDB em São Paulo e ao PT no plano federal, a legenda é cortejada pelos dois lados, mas não quer correr o risco de se envolver prematuramente numa campanha que pode não decolar.

No domingo, Lula se reuniu com o presidente do PSB, o governador Eduardo Campos, e ouviu dele dois compromissos: não vai aderir à  chapa do tucano e voltará a conversar sobre uma possível dobradinha a partir de maio.

Em entrevista à  Folha, Serra disse, porém, que há possibilidade de aproximação com PSB e PC do B, outro parceiro tradicional dos petistas.

Lula, em fase final de um tratamento contra um câncer na laringe, está retomando aos poucos as costuras eleitorais pró-Haddad.

Mas só entrará para valer na campanha após os 20 dias de férias programados para abril, quando pretende descansar em uma praia.

Veja também  Portugal vacina crianças de 5 a 11 anos enquanto Bolsonaro "embaça" no Brasil

Ele tem dito acreditar em um segundo turno entre Serra e Haddad. Nesse caso, Lula ambiciona o apoio ao petista de Gabriel Chalita (PMDB).

Em diálogos com o partido, Lula diz que, se bem explorado, o abandono da prefeitura em 2006 fará com que Serra perca tempo para convencer o eleitor de sua disposição de cumprir o mandato.