Lula, Alckmin e Requião juntos na região Sul

Luiz Inácio Lula da Silva, pré-candidato à Presidência da República, telefonou esta semana para seu correligionário Roberto Requião, pré-candidato ao governo do Paraná, convidando-o para um comício na próxima quarta-feira, 1º de junho, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Além de reforçar a liderança de Requião e a própria na região Sul, Lula quer que seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), estreie nos grandes eventos do PT durante essa pré-campanha.

Requião, ao lado Fernando Haddad, é o pré-candidato a governador com melhores intenções de voto no PT do País.

Mais do que uma “inspiração” política, Lula convidou Requião porque também busca uma aproximação política do paranaense com Alckmin.

O PSB é a única ovelha desgarrada no Paraná, isto é, que costeia o alambrado do bolsonarismo no palanque do governador Ratinho Junior (PSD).

No Rio Grande Sul, a crise de Lula é “Suíça”.

O ex-presidente tem três palanques nos pampas, qual seja, três pré-candidatos a governador: Edegar Pretto (PT), Beto Albuquerque (PSB) e Pedro Ruas (PSOL).

Os três partidos apoiam Lula nacionalmente e querem se encontrar com o presidenciável durante sua visita.

– Serão todos convidados, não há problema com relação a isso. Queremos formar o palanque mais potente para o Lula no estado – afirma Pretto.

Moral da história: Lula, Alckmin e Requião estarão juntos porque eles planejam uma espetacular virada na região Sul; a conferir.

Veja também  Requião "revigorado" anuncia volta em 2022 [vídeo]