Jornal espanhol El País se despede do Brasil, após denunciar crimes da Lava Jato e prisão ilegal de Lula

Jornal espanhol El País se despede do Brasil, após denunciar crimes da Lava Jato e prisão ilegal de Lula

A edição em português do jornal espanhol EL PAÍS se despediu nesta terça-feira (14/12) de seus leitores. Dia triste para pluralidade de ideias nesses tempos de Jair Bolsonaro, Sergio Moro e tantos outros que flertam com o autoritarismo e fascismo no Brasil.

“Muito triste. El Pais sempre fez grande jornalismo”, disse o jornalista americano radicado no Brasil Glenn Greenwald. “Nunca se esqueça: depois de fundamos o The Intercept Brasil, a Associação Nacional de Jornais (ANJ) — financiado por veículos corporativos da mídia — foi ao STF para nos fechar com El Pais e BBC Brasil, com medo da concorrência”, recordou.

Durante o golpe de 2016, que derrubou a presidenta Dilma Rousseff (PT) e culminou com a prisão do ex-presidente Lula, os brasileiros muitas vezes tinham que recorrer à imprensa internacional para furar a censura imposta pela opinião única dos jornalões locais. Nesse time do bom jornalismo, testemunho, estava o El País e seus profissionais.

O El País também ajudou a estourar a censura acerca dos crimes cometidos pela Lava Jato divulgando conteúdos da Operação Spoofing, que revelaram ao mundo o conluio existente para dificultar a defesa de Lula, adversários da força-tarefa, e garantir a eleição de Jair Bolsonaro em 2018.

Se El País se despediu, o Blog do Esmael continua firme e forte. Em 2022, nosso site plural e independente completa 13 anos de existência.

Lula ao espanhol El País: “Tenho que voltar para recuperar o prestígio do Brasil, e que o povo coma três vezes por dia”

EL PAÍS: são verdadeiras as mensagens vazadas pelo Intercept

Jornais da velha mídia corporativa perdem influência e relevância no País

A seguir, a despedida do El País em português:

A edição em português do EL PAÍS despede-se hoje de seus leitores. Esta edição nasceu em 2013 e durante oito anos informou sobre a atualidade brasileira e mundial. Neste tempo, apesar de ter atingido grandes audiências e um número considerável de assinantes digitais, ela não alcançou sua sustentabilidade econômica, o que levou à decisão por sua descontinuidade.

O EL PAÍS, que mantém correspondentes em São Paulo, conta com a mais extensa rede de jornalistas no continente. A partir de sua redação na Cidade do México, dos escritórios de Washington, Bogotá e Buenos Aires e de seus jornalistas nas principais capitais, a edição do EL PAÍS América oferece a mais completa cobertura em espanhol da área. Um esforço que será ampliado nos próximos meses e no qual o jornal concentrará suas energias.

Queremos agradecer aos profissionais do EL PAÍS Brasil por seu grande esforço e dedicação. Como também à fidelidade de nossos leitores, que poderão acompanhar a informação sobre a região e o resto do mundo em nossa edição da América. Para este jornal, o Brasil é um eixo da informação global tanto no plano político e econômico, quanto no cultural e social.