João Arruda diz que denunciou ao MEC, em 2011, deputado que fraudava licitação da Educação

Deputado João Arruda (PMDB-PR).
Deputado João Arruda (PMDB-PR).
O deputado federal João Arruda (PMDB-PR) disse ao blog que, em 2011, levou uma denúncia ao Ministério da Educação (MEC) contra um deputado federal do Paraná do PSC. Segundo ele, na época, prefeitos reclamaram que seu colega de parlamento estava exigindo que os municípios contratassem uma empresa de consultoria, na área de Educação, para liberar construção de escolas e creches.

“Em 2011 recebi denúncias de prefeitos de que um deputado [federal] estaria negociando facilidades no Ministério da Educação…”, tuitou neste domingo (13) o peemedebista.

De posse dessas informações, levei a denúncia ao chefe de gabinete do Ministério da Educação!, recorda João Arruda, que é sobrinho de Roberto Requião (PMDB), presidente da Comissão de Educação no Senado.

Para o deputado João Arruda, prefeitos e gestores públicos são vítimas de quadrilhas especializadas em desvio de recursos da Educação. Muitas vezes o prefeito é chantageado e só consegue uma escola, uma creche, se contratar o serviço de consultoria do atravessador!, diz.

O Grupo de Atuações Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná, deflagrou na sexta-feira (11) a Operação Quadro Negro, que levou à  prisão oito pessoas em vários municípios, dentre as quais o ex-prefeito da Lapa Paulo Furiati (PMDB).

Além do Paraná, o esquema de fraudes na Educação tem ramificações nos estados Minas Gerais, Distrito Federal e Santa Catarina.

Arruda vai avaliar com a bancada do partido, quando o Congresso Nacional retornar do recesso, a possibilidade de pedir abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar desvios de recursos da Educação através de fraudes em licitações.

Veja também  STF pode barrar Bia Kics na CCJ da Câmara

Comments are closed.