Ipespe censura própria pesquisa para o governo do Paraná

► Para o Senado, contratante Alvaro Dias está na frente, “óbvio”, com 31% das intenções de voto

Ninguém sabem, ninguém viu.

Continua desaparecida a pesquisa do instituto Ipespe para o governo do Paraná.

A empresa de pesquisa cujo sócio é um dos fundadores da agência de propaganda Lua teria 120 milhões de motivos para censurar os próprios números.

Na Boca Maldita, centro político nervoso de Curitiba, há unanimidade na análise: os números seriam desanimadores para o governador cessante Ratinho Junior (PSD).

Pela primeira vez, em 2022, Ratinho Junior enfrentará um adversário de verdade na eleição para o Palácio Iguaçu – disseram petistas de quatro estrelas na manhã desta quinta-feira (07/07).

A Ipespe pertence a Antônio Lavareda, dublê de cientista político e publicitário.

Lavareda trabalhou em duas campanhas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso [1994 e 1998].

Ele ainda prestou serviços para o antigo DEM – hoje União Brasil – e foi consultor do ex-presidente Michel Temer.

Antônio Lavareda foi o fundador da agência Lua Propaganda [não confunda com “Lula”, please].

A Lua Propaganda presta serviço para o Governo do Paraná, dentre outros.

A agência Lua assinou este ano, por exemplo, a campanha de homenagem ao dia internacional das mulheres, cujo comercial foi amplamente veiculado nas emissoras de televisão e de rádio no Paraná.

Agora vamos à pesquisa do Ipespe para o governo do Paraná, que desapareceu, apesar do registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O levantamento foi contratado pelo Podemos, partido do senador Alvaro Dias, pelo custo de R$ 48 mil.

A Lua Propaganda tem contrato de R$ 120 milhões com o governo Ratinho Junior até 13 de setembro deste ano em um contrato que sofreu seis aditivos desde 2017 [clique aqui para ler a íntegra].

Segundo informações nos bastidores da política, a pesquisa do Ipespe “tomou Doril” [em alusão ao antigo comercial daquele remédio para dor de cabeça “tomou Doril, a dor sumiu”] porque era desfavorável ao governador cessante Ratinho Junior (PSD), que tentará a reeleição em outubro.

No Paraná, custa mais caro não publicar uma pesquisa do que publicar uma sondagem sobre as intenções de voto.

Não são apenas as pesquisas que desaparecem no Paraná.

A censura prévia também é uma praxe na velha mídia corporativa, que não publica nada que questione as ações do governo de plantão.

O sumiço de parte da pesquisa Ipespe revela que nem tudo são flores para Ratinho Junior, que há algo de podre no reino do Palácio Iguaçu.

Se o leitor se conforma, somente os números para o Senado foram divulgados hoje.

O contratante [Alvaro Dias] está na frente, “óbvio”, com 31% das intenções de voto enquanto o desafiante Sergio Moro (União) aparece com 24%. O candidato do PT, Doutor Rosinha, tem 10%. [Clique aqui para ler o relatório da pesquisa.]                 

Clique aqui para ler a íntegra do questionário da pesquisa Ipespe/Podemos, que não foi divulgada.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.