Íntegra da pesquisa Quaest em MG: Zema 44% x 26% Kalil; confira

► Pesquisa Genial/Quaest: Em Minas, Romeu Zema mantém vantagem mesmo depois de acordo de Alexandre Kalil com Lula

► Em Minas, apoio de Lula empurra Kalil para 42%

  • Zema aparece com 44% das intenções de voto contra 26% de Kalil
  • Ex-prefeito vence na capital e governador ganha no interior
  • Ao contrário de São Paulo, distância entre Lula e Bolsonaro permaneceu a mesma de maio para julho

Na disputa pelo governo de Minas Gerais, o atual governador, Romeu Zema (Novo), permanece à frente do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), segundo a Pesquisa Genial/Quaest, a única sondagem presencial Zema teria 44% da preferência do eleitorado, contra 26% de Kalil.

Carlos Viana (PL) está com 2%. Vanessa Portugal (PSTU), Renata Regina (PCB), Miguel Corrêa (PDT), Marcus Pestana (PSDB) e Lorene Figueiredo (PSOL) alcançaram 1%. O número de indecisos é de 15% e outros 9% disseram que votam em branco, anulam ou não pretendem comparecer às urnas.

Para a pesquisa, foram feitas 1.480 entrevistas, entre os dias 2 e 5 de julho. A margem de erro é de 2.5 pontos percentuais. Ao que tudo indica, Zema está surfando na crescente popularidade de sua administração.

Na consulta anterior, 42% dos mineiros avaliaram o governo como positivo. Agora, são 46%. Em contrapartida, o número de eleitores que classifica o governo como negativo caiu de 17% para 13%. Outros 32% consideram a administração Zema como regular.

Zema leva a melhor em todas as faixas etárias, de renda e escolaridade. Também é o favorito de homens e mulheres. Porém, quando a disputa é analisada pelas regiões do estado, Kalil lidera na capital, com 54% das intenções de voto a 31% para o atual governador; e na Região Metropolitana, com 43% a 30%. No interior, a vantagem e de Zema: 51% a 16%.

Em Minas, apoio de Lula empurra Kalil para 42%

A sondagem também apontou que, com o apoio do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Kalil teria 42% das intenções de voto. Já Zema, se subir ao palanque com o presidente Jair Bolsonaro ou com o candidato de seu partido à Presidência, Felipe d’Ávila, fica com 26% da preferência do eleitorado. Na simulação de segundo turno, independentemente de apoios, Zema aparece com 50% dos votos de Kalil com 34%.

Na corrida ao Senado, Claudinho Azevedo (PSC) tem 19%, seguido de Alexandre Silveira (PSD), com 7% e Sara Azevedo (PSOL), com 4%. Marcelo Álvaro Antônio (PL) e Paulo Piau (MDB) estão empatados com 3% e Marcelo Aro (PP) aparece com 2%. A soma de indecisos, brancos, nulos e eleitores que não pretendem votar chega a 62% dos entrevistados.

Em relação à sucessão presidencial, o quadro também permanece estável. Se a eleição fosse hoje, 46% dos eleitores ficariam com Lula e outros 28% com Bolsonaro. Ciro Gomes teria 6% das intenções de voto, seguido por André Janones (2%) e Simone Tebet e Pablo Marçal, empatados com 1%.

Vera Lúcia, Felipe D’Ávila, Sofia Manzano, Eymael, Leonardo Péricles e Luciano Bivar não pontuaram. Em uma simulação de segundo turno, Lula teria 55% dos votos, contra 30% de Bolsonaro. Na comparação com a pesquisa de maio, o ex-presidente cresceu dois pontos e o atual caiu dois pontos.

Na avaliação dos mineiros, a economia superou a pandemia como principal problema do Estado: 30% a 27%. Em maio, 32% ainda temiam mais a crise sanitária do que a crise econômica (21%). De maneira geral, voltou a crescer a perspectiva de que a capacidade de pagar contas vai piorar (59% a 55% na consulta anterior).

Metodologia da pesquisa

A Pesquisa Genial/Quaest trabalha com metodologia inédita de acompanhamento da opinião pública. A partir das entrevistas domiciliares, é feita a decupagem, análise e estratificação dos dados por sexo, idade, escolaridade, renda e População Economicamente Ativa (PEA).

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

Clique aqui para ler a íntegra da pesquisa Genial/Quaest em Minas Gerais.