Globo segue script pela eleição indireta

É Segredo Polichinelo que a Globo segue um roteiro desenhado ainda no pré-golpe, há um ano, que derrubou a presidente eleita Dilma Rousseff. Nesse script, não há espaço para a democracia.

O ilegítimo Michel Temer seria uma peça descartável, no máximo, em março ou abril. Portanto, só há surpresa para os neóficos a intempestiva campanha da emissora dos Marinho.

Temer “envelheceu”, “apodreceu”, não atende mais aos interesses nem do capital vadio, por isso a Globo quer substituí-lo por meio de uma eleição indireta. (“Deus me livre de uma Diretas Já”, esperneia a emissora).

Sobre o envolvimento dos golpistas com a corrupção, todos sempre souberam, há mais de 30 anos, principalmente a imprensa brasileira (by Emílio Odebrecht).

O projeto global é pela continuação da retirada de direitos trabalhista e previdenciário. Ao primeiro sinal de que Temer não obteria êxito nas reformas, em gestos calculados, a Globo começa a expurgá-lo do Palácio do Planalto.

O diabo é que a solução da família Marinho para o país é mais lazarenta ainda, pois é antidemocrática porque não prevê a participação do povo: eleição indireta.

A pobreza moral da Globo é tanta que ela especula do sofrível apresentador da Casa Luciano Huck à coitada da ministra do STF Carmén Lúcia. Ambos não entendem de nada e de coisa alguma. Nomes desse naipe seriam um estratagema para que a emissora continuasse a conduzir os trabalhadores brasileiros rumo à escravização política, ideológica e econômica.

É a Globo sendo a Globo que sempre foi.

Por isso, mais do que nunca, é Fora Temer e eleições Diretas Já!

Os comentários estão encerrado.