Gato no IML pode custar cargo de presidente da Elejor

De acordo com o Tribunal, há uma criação de gatos no IML de Maringá. Foto: TCE.
O leitor deve estar a perguntar: que diabo tem a ver o gato, o IML e a Elejor?

Eu explico.

Nesta quarta-feira (22), Tatianna Bove Iatauro, inspetora do Tribunal Faz de Contas do Estado descascou o Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. Disse em entrevista coletiva que a situação é caótica no órgão, que até gatinho de estimação passeia pelo local.

As observações de Tatianna são pertinentes e ela cumpriu com seu dever, portanto, está corretíssima.

O IML é de responsabilidade da Secretaria de Segurança Pública (SESP), uma área muito sensível! no governo Beto Richa (PSDB). à‰ onde, por exemplo, que os curitibanos acham que têm problemas sérios e o governo avalia que eles podem complicar a reeleição do prefeito Luciano Ducci (PSB).

Dito isto, aí que a porca torce o rabo. A sinceridade da senhora Iatauro causou azia no Palácio Iguaçu, que promete revide à  altura.

Tatianna é esposa de Rafael Iatauro, diretor-presidente da Elejor (Centrais Elétricas do Rio Jordão S.A) !“ uma daquelas subsidiárias da Copel transformadas em cabides de emprego pelo governo do Paraná — cujo salário é de R$ 40 mil por mês.

Pois bem, o gato no IML poderá custar o cargo de Iatauro na Elejor. Ex-chefe da Casa Civil no governo Requião e ex-diretor da Copel na gestão Pessuti, Rafael Iatauro entrou na marca do pênalti depois da coletiva de sua esposa, que falou a verdade e nada mais que a verdade.

A pergunta que não foi respondida na coletiva de Tatianna: Afinal, de quem é o gatinho no IML de Maringá?!

Comments are closed.