Flávio Dino: A trajetória do senador indicado ao STF

O senador Flávio Dino, o atual Ministro da Justiça e ex-governador do Maranhão, está prestes a ser nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Antes, porém, Dino enfrentará uma sabatina na quarta-feira (13/12) no Senado.

A indicação de Dino foi recebida com reações mistas, com alguns senadores expressando apoio a as suas qualificações e experiência, enquanto outros criticaram as suas tendências políticas.

Dino nasceu em São Luís, Maranhão, em 1968.

Formou-se em Direito pela Universidade Federal do Maranhão em 1991 e iniciou a carreira como juiz do Tribunal de Justiça Federal da 1ª Região.

Economia

>>Fracasso da manifestação contra Flávio Dino no STF: Boca Maldita “flopou” em Curitiba

Atuou como juiz por 12 anos, entre 1994 até 2006, período em que também atuou como Secretário-Geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Presidente da Associação Brasileira dos Juízes Federais (Ajufe).

Em 2007, Dino foi eleito para a Câmara dos Deputados, onde atuou por quatro anos.

Em 2011, foi nomeado presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur).

Em 2014, foi eleito pela primeira vez Governador do Maranhão.

Foi reeleito em 2018 e serviu até 2022.

Como governador do Maranhão, Dino era conhecido por suas políticas progressistas, incluindo seu foco na educação, justiça social e proteção ambiental.

Ele também é um crítico vocal da corrupção e da impunidade.

>>Lewandowski na seleção de Lula

A indicação de Dino para o Supremo foi elogiada por alguns senadores por sua experiência e qualificação.

O senador Weverton (PDT-MA), que escreveu relatório favorável à indicação de Dino, disse que Dino tem um “esplêndido conhecimento jurídico” e “uma vida de sucesso ” .

Outros senadores criticaram as tendências políticas de Dino.

O senador Magno Malta (PL-ES) disse não acreditar que Dino “mude de faixa” caso seja confirmado no Supremo.

O senador Luis Carlos Heinze (PP-RS) questionou a forma como Dino lidou com os ataques de 8 de janeiro de 2023 ao Supremo Tribunal Federal e ao Congresso Nacional.

A nomeação de Dino para a Suprema Corte provavelmente será uma votação animada, mas segura e favoravelmente ao indicado de Lula.

O Senado tem a tradição de aprovação dos indicados do presidente da República.

Flávio Dino conta com o apoio do governo e de alguns senadores, mas também enfrenta oposição de outros.

O resultado da votação será um teste significativo às qualificações de Dino e à sua capacidade de conquistar senadores de todo o espectro político.

Com a ida de Dino para o STF, muito provavelmente, o presidente Lula irá escalar o ex-ministro Ricardo Lewandowski para o Ministério da Justiça e Segurança Pública.

No entanto, o Blog do Esmael apurou que Lewandowski declinaria o “convite” caso a pasta seja divida.

“O Ministério da Justiça, sem a Segurança Pública, seria um leão sem dente”, analisou um jurista próximo ao ex-ministro do STF.