Diplomatas brasileiros em Caracas vão ignorar ordens Maduro, diz Ernesto Araújo


O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou nesta quinta feira-(24) em Davos, na Suíça, que o Itamaraty orientou seus diplomatas em Caracas a responder apenas ao líder da oposição Juan Guaidó, que desde ontem (23) é considerado pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) como presidente encarregado da Venezuela.

LEIA TAMBÉM:

Maduro anuncia rompimento diplomático com os EUA

Depois de se autoproclamar presidente interino, Guardió enviou uma carta a embaixadas estrangeiras em Caracas pedindo para os que os governos estrangeiros ignorem as ordens do presidente Nicolás Maduro.

“Peço que desconheçam qualquer ordem ou disposição que contradiga o firme propósito do poder legítimo da Venezuela, que em virtude da Constituição, ostento, de que as missões diplomáticas, chefes de missões e todos seus funcionários continuem operando na Venezuela com normalidade e que se respeitem todas as imunidade e privilégios”, escreveu.

“Qualquer disposição contrária careceria de validade, já que emanaria de pessoas ou entidades que, por seu caráter usurpatório, não tem autoridade legítima para pronunciar-se a respeito”, completou.

Nesta quarta-feira (23), o líder da oposição ao governo legítimo de Nicolás Maduro, deputado Jaun Guaidó, se autoproclamou presidente interino da Venezuela, com o reconhecimento dos Estados Unidos e de outros países, incluindo o Brasil.

Com informações do Estadão

Veja também  Globo concorda com PT: "Bolsonaro sabia que não era só uma ‘gripezinha’"