Deu chabu no apoio do PT a Marcelo Freixo no Rio; confira a nota de rompimento

A direção destadual do PT no Rio de Janeiro, por meio de nota, anunciou rompimento com a candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao Palácio Guanabara.

De acordo com os petistas fluminenses, não é mais possível manter o apoio a candidatura Freixo ao governo do Estado.

O chabu se deu com a instência do deputado Alessandro Molon (PSB) concorrer ao Senado.

Segundo o PT-RJ, havia acordo com o PSB de que o candidato ao Senado seria André Ceciliano (PT) cuja candidatura fora aprovada por unanimidade pelo diretório petista.

O PT afirma que está buscando um novo palanque forte no Rio de Janeiro para a candidatura de Lula.

A decisão da Executiva estadual do PT será levada para o diretório nacional analisar.

Leia a íntegra da nota do PT/RJ:

Nos últimos meses, um debate dividiu a coligação de apoio a pré-candidatura de Marcelo Freixo ao governo, foi a insistência do deputado Molon, com apoio de parte da Direção Nacional do PSB, em manter a sua candidatura divisionista ao Senado.

Esse descumprimento de um acordo feito entre Molon e Freixo, entre o PT e o PSB, nos dividiu, com parte da esquerda atacando o nosso companheiro André, pré-candidato do PT ao Senado, numa campanha sórdida nas redes, como não se via faz anos.

A aventura da candidatura divisionista se manteve, mesmo após o Ato na Cinelândia, mesmo após os posicionamentos do próprio Marcelo Freixo, Flávio Dino, Márcio França e Danilo Cabral em defesa da unidade e cobrando o cumprimento do acordo. Aliás, Marcelo Freixo sempre defendeu a unidade da coligação apostando primeiro no convencimento do deputado Molon, confiando no Acordo firmado entre os dois, e depois pressionando Molon e a Direção Nacional do PSB.

Na nossa boa fé, e na nossa crença na importância do cumprimento de acordos, sabendo da nossa responsabilidade na construção de uma coligação de 8 partidos, aguardávamos até agora por uma definição final da Direção Nacional do PSB. Todavia, fomos surpreendidos pela defesa do Presidente Nacional do PSB da manutenção da candidatura divionista e aventureira de Molon.

Consideramos que a divisão na coligação majoritária inviabilizará um palanque forte para o Presidente Lula, inviabilizará as nossas candidaturas majoritárias, tanto Freixo, como o André. Não aceitamos mergulhar nosso partido e nossas campanhas em uma guerra fratricida. Não faremos o jogo pequeno das prioridades pessoais, da manutenção de mandatos proporcionais a todo custo, como é a prioridade de alguns setores.

Reafirmamos a candidatura do nosso pré-candidato André Ceciliano ao Senado, candidatura aprovada por unanimidade no Diretório. Desde 2019, André liderou a ALERJ defendendo a UERJ, os servidores, e a democracia contra os ataques da ultra-direita. André nos representa.

Mas nesse cenário, infelizmente não é mais possível manter o apoio a candidatura Freixo ao governo do Estado. E vamos, nos próximos dias, debater alternativas de coligação majoritária com a Direção Nacional do PT e com os partidos da Federação para que tenhamos um forte palanque do Lula no nosso Estado.

Pela confusão no Rio, Bolsonaro agradece.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

LEIA TAMBÉM