Deltan Dallagnol ainda luta contra a inelegibilidade

O deputado federal eleito Deltan Dallagnol (Podemos-PR) ainda luta contra a inelegibilidade na Justiça Eleitoral.

O ex-procurador da Lava Jato obteve 344.917 votos no domingo (02/10), mas ele tem problemas com o registro de sua candidatura no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR).

jQuery(document).ready(function() { $(window).scroll(function () { var set = $(document).scrollTop()+"px"; jQuery('#float-banner').animate({ top:set }, { duration:1000, queue:false }); }); });

Em agosto, a Federação Brasil Esperança (PT, PV e PCdoB) requereu a impugnação de Deltan. Existem outros dois pedidos de inelegibilidade.

Há um julgamento pendente no tribunal, que ainda pode frustrar a posse do ex-coordenador da famigerada força-tarefa em fevereiro de 2023.

Segundo a Federação que sustenta a candidatura do ex-presidente Lula (PT), Deltan pediu exoneração do MPF enquanto era alvo de processo administrativo disciplinar e que ele foi condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) por farra com diárias e passagens na finada Lava Jato.

Economia

Nesta semana, torcendo o nariz para rachadinhas e compra de 51 imóveis com dinheiro vivo, Deltan Dallagnol anunciou apoio à reeleição do presidente cessante Jair Bolsonaro (PL).

Jesus me abana.

Além de Deltan, o ex-juiz Sergio Moro (União Brasil-PR) também pode não assumir o cargo de senador pelo Paraná.

A Federação Brasil Esperança igualmente requereu a impugnação do ex-juiz da Lava Jato por estar filiado em São Paulo, na data-limite, 2 de abril, portanto, Moro estaria inelegível para concorrer ao Senado pelo Paraná.

Tal qual Deltan, Sergio Moro declarou voto em Bolsonaro.

Crendiospai.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

LEIA TAMBÉM