Delegado da PF que investigava morte de Teori Zavascki é morto a tiros em Florianópolis

O delegado da PF Adriano Antônio Soares, do Rio, que investigava a morte do ministro do STF Teori Zavascki, foi assassinado na madrugada desta quarta-feira (31) em Florianópolis.

O agente estava acompanhado do colega de corporação Elias Escobar, que também morreu assassinado.

Ambos estavam na capital do estado de Santa Catarina para participar de um curso na PF.

O autor dos disparos Nilton Cesar Souza Junior, 36 anos, não resistiu aos ferimentos em virtude de confusão em frente a casa noturna.

Teori morreu em janeiro deste ano na queda de um avião em Angra dos Reis, litoral do Rio. Ele era o relator da Java Jato no Supremo.

Com informações do Zero Hora

NOTA OFICIAL DA PF:

A Polícia Federal lamenta a morte de dois delegados, ocorrida na madrugada de hoje (31/05) em Florianópolis/SC. Os dois atuavam em Angra dos Reis e Niterói, respectivamente, e estavam na cidade participando de uma capacitação interna.

O falecimento dos policiais decorreu de uma troca de tiros em um estabelecimento na capital catarinense.

Neste momento de imensa tristeza, a Polícia Federal expressa suas condolências e solidariedade aos familiares e amigos enlutados.

Sobre informações que relacionam um dos policiais mortos à investigação do acidente aéreo que vitimou o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, a PF esclarece que o inquérito que apura o caso encontra-se em Brasília/DF, presidido por outro delegado, e apenas foi registrado em Angra dos Reis, local do fato.

Veja também  Polícias civil e militar terão 'operação padrão' contra Ratinho Junior; confira

Comments are closed.