Bolsonaro vai assistir posse de ministro terrivelmente evangélico do lado de fora do Supremo

CPI cada vez mais “próxima” do governo apavora Bolsonaro, que pede “Fora Renan”

Após a prisão do ex-diretor do Ministério da Saúde, Roberto Dias, o presidente Jair Bolsonaro sentiu na nuca o bafo quente da CPI da Covid no Senado. Houve uma correria no Palácio do Planalto, emissão de notinhas do Ministério da Defesa, e exoneração do servidor Laurício Monteiro Cruz.

Monteiro Cruz, tal qual o mordomo, foi defenestrado do cargo de diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da Secretaria de Vigilância em Saúde do ministério. Sua demissão foi assinada pelo ministro da Casa Civil, general Luiz Eduardo Ramos.

Leia também

De acordo com membros da CPI, a notinha das Forças Armadas visou intimidar senadores que investigam a participação de militares em esquemas de corrupção no governo.

Ato contínuo, antes do início da reunião da comissão de investigação, nesta quinta-feira (8/7), o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), em coletiva à imprensa, nitidamente pediu “Fora Renan”.

Segundo o Zero Um, filho do presidente da República, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, está perseguindo politicamente Jair Bolsonaro.

CPI da Covid ao vivo