Corrupção no governo Richa ‘atiça o formigueiro’ da APP-Sindicato

A APP-Sindicato já ensaia a palavra de ordem para a greve a partir de 15 de março: “Pisa Ligeiro, Pisa Ligeiro, Quem Não Pode com a Formiga, Não Assanha o Formigueiro!”.

“As Formigas”, isto é, os educadores ficaram assanhadíssimas com a volta aos noticiários da corrupção na Educação promovida pelo governo Beto Richa (PSDB).

Trata-se de investigações da Operação Quadro Negro que apontam desvios de até R$ 50 milhões que seriam destinados à construção de escolas no Paraná. O dinheiro saiu do caixa do governo do estado, mas as obras não saíram do chão.

Afinal, quem assanhou o formigueiro? Ninguém menos que o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), principal personagem de uma reportagem no jornal Folha de S. Paulo na edição desta segunda (20).

Há meses Rossoni vem provocando professores e servidores, mas, pelo visto, hoje levou uma “ferroada no bico” do jornalão paulista.

Após o Carnaval, se o chefe da Casa Civil resistir no cargo, será a vez do formigueiro da APP-Sindicato avançar sobre o tucano e o chefe dele — o governador Beto Richa.

Neste domingo (19), em Curitiba, os professores fizeram um “aquece” na Feirinha do Largo da Ordem contra a demissão de 10 mil educadores.

E nesta terça (21), em todas as 2,1 mil escolas da rede pública, as aulas serão de apenas 30 minutos em protesto contra a redução da hora-atividade.