China inicia segunda caminhada no espaço com tripulação da Shenzhou XIII [vídeo]

China inicia segunda caminhada no espaço com tripulação da Shenzhou XIII [vídeo]

A tripulação da missão Shenzhou XIII da China iniciou sua segunda atividade extraveicular, ou caminhada no espaço, na noite deste domingo (26/12), de acordo com a Agência Espacial Tripulada da China.

A caminhada no espaço começou às 18h44, com o coronel sênior Ye Guangfu sendo o primeiro a sair do módulo central da estação espacial Tianhe.

O major-general Zhai Zhigang, o comandante da missão, embarcará mais tarde. Os dois estão programados para ajustar a posição de uma câmera panorâmica, examinar um dispositivo de contenção para os pés e testar seus trajes espaciais e braço robótico.

O coronel Wang Yaping ficará dentro da estação espacial de Tiangong para apoiar as operações extraveiculares, disse a agência.

A operação é a primeira caminhada espacial de Ye, que se tornou membro do segundo grupo de astronautas da China em maio de 2010.

A missão Shenzhou XIII foi lançada em 16 de outubro por um foguete porta-aviões Long March 2F que decolou do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no deserto de Gobi do noroeste da China, com a tripulação logo entrando na estação espacial de Tiangong. Eles devem passar seis meses trabalhando na estação, tornando-a a missão espacial mais longa da China.

Atualmente, os astronautas viajam no espaço há 72 dias. Eles completaram sua primeira caminhada no espaço em 8 de novembro, com Wang, 41, tornando-se a primeira mulher caminhante espacial da China.

Durante a primeira caminhada no espaço, Zhai e Wang montaram novos componentes no braço robótico e usaram o braço para praticar manobras extraveiculares. Eles verificaram as capacidades do braço e sua compatibilidade com as necessidades dos astronautas, examinaram a segurança e o desempenho dos dispositivos de suporte e também testaram as funções de seu traje extraveicular.

Shenzhou XIII é a quarta espaçonave a visitar a estação de Tiangong, e também a segunda nave tripulada a transportar astronautas para o posto avançado em órbita.

Os primeiros astronautas dentro de Tiangong – o general Nie Haisheng, o general Liu Boming e o coronel Tang Hongbo – terminaram sua missão de 92 dias em meados de setembro. Eles realizaram duas caminhadas espaciais.

Assista ao vídeo [New China TV]

China passou os EUA na produção de ciência mundial pela primeira vez


Segundo a plataforma Scimago, que inclui métricas de mais de 20 mil periódicos científicos de uma base chamada Scopus, a China ultrapassou os Estados Unidos na produção de ciência mundial pela primeira vez.

Cientistas ligados a universidades, institutos e hospitais da China publicaram uma soma de 788 mil artigos científicos em 2020 em todas as áreas do conhecimento. Isso significa 90 resultados científicos novos por hora, em média, publicados em trabalhos acadêmicos com a participação de chineses.

A marca levou o país a ultrapassar o então líder Estados Unidos, com 767 mil artigos científicos publicados em 2020. Foi um número 2,4% maior em relação ao ano anterior; a questão é que a produção científica chinesa cresceu 10% no mesmo período —isso depois de aumentar sem parar nos últimos anos.

A China também vai bem nos estudos em economia (2º lugar no mundo) e em artes e humanidades, na qual ocupa a 6º posição mundial.

A título de comparação, em 2001, a produção científica chinesa era quase seis vezes menor do que a americana.

As universidades Pequim e Tsinghua estavam, respectivamente, em 46º lugar e 52º lugar no mundo. No entanto, hoje, elas estão empatadas no 16º lugar na última edição do ranking universitário global THE (Times Higher Education) –graças ao investimento maciço chinês na educação.