Deputado associa na TV namoro com negras a ‘promiscuidade’

do G1

O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). Foto: Diógenis Santos/Agência Câmara.
O deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) afirmou que não discutiria “promiscuidade” ao ser questionado pela cantora Preta Gil, no programa CQC, da TV Bandeirantes, sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra.

A pergunta, previamente gravada, foi feita ao deputado na noite desta segunda-feira (28), no quadro do programa intitulado “O povo quer saber”: “Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?”

Bolsonaro respondeu: Preta, não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco, e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em um ambiente como, lamentavelmente, é o teu.!

Após a exibição do programa, Preta Gil postou no Twitter que processaria o deputado. “Advogado acionado, sou uma mulher Negra, forte e irei até o fim contra esse Deputado, Racista, Homofobico, nojento”.

Sob gestão Requião e Pessuti, Copel registra lucro de R$ 987,8 milhões em 2010

da Agência Estadual de Notícias

A Copel, maior empresa pública do Paraná, registrou lucro líquido de R$ 987,8 milhões no ano de 2010, resultado 24,8% superior aos R$ 791,7 milhões apurados no exercício de 2009.

As demonstrações contábeis da Companhia relativas ao exercício de 2010 são as primeiras elaboradas de acordo com o IFRS (International Financial Reporting Standards), um conjunto de normas que tem por objetivo padronizar internacionalmente os critérios de contabilização dos números e de apresentação dos balanços.

Em razão das modificações conceituais introduzidas por essas normas, os números divulgados no balanço de 2009, originalmente elaborado de acordo com os princípios contábeis adotados no Brasil, não podem servir como termo de comparação. Assim, o lucro líquido de R$ 1,026 bilhão que foi divulgado como resultado do exercício de 2009, por exemplo, passou a ser de R$ 791,7 milhões segundo os critérios de contabilização estabelecidos no IRFS. Já o patrimônio líquido, que era de R$ 8,8 bilhões em dezembro de 2009 pelos critérios brasileiros, passou a ser de R$ 10,3 bilhões na mesma data pelos padrões do IRFS.

Stephanes Jr. e Marcelo Almeida podem engrossar novo partido

via O Estado do Paraná

Marcelo Almeida poderá engrossar o PSD de Kassab. Foto: Agência Câmara.
Com a articulação para fazer do senador Roberto Requião (PMDB) o próximo presidente do partido em Curitiba, na convenção marcada para julho, o deputado estadual Reinhold Stephanes pode seguir outros rumos partidários. Embora esteja disposto a brigar pelo comando do partido na capital, Stephanes foi convidado a ingressar no PSD (Partido Social Democrático) de Gilberto Kassab.

Stephanes é mais um dos convidados do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, para compor seu partido no Paraná.

Kassab está buscando constituir um grupo no estado para dar suporte á nova sigla. Além do ex-deputado Alceni Guerra (DEM), do ex-deputado Gustavo Fruet (PSDB), dos deputados Ney Leprevost (PP) e Osmar Bertoldi (DEM), Reinhold Stephanes, outro peemedebista, o ex-deputado federal Marcelo Almeida também está entre os nomes que interessam a Kassab.

Em Lisboa, Lula recebe prêmio e nega divergências com Dilma

da Folha.com

Lula recebe prêmio em Portugal. Foto: Patricia de Melo Moreira/AFP
Acompanhado da presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu na manhã desta terça-feira o prêmio do Centro Norte-Sul do Conselho da Europa, em uma cerimônia no Parlamento português com o presidente do país, Cavaco Silva, e o primeiro-ministro, José Sócrates.

A visita de Dilma a Portugal nesta semana é uma promessa que ela havia feito ao seu antecessor de acompanhá-lo quando ele ganhasse um prêmio internacional. A afirmação é do próprio Lula, que vai três homenagens no país.

“Ela tinha prometido que quando eu recebesse o primeiro prêmio internacional ela viria, e está cumprindo”, declarou Lula, que negou qualquer divergência com a presidente.

“Não há a menor hipótese [de divergências]. Porque o dia que tiver uma divergência entre eu e a Dilma, ela está certa. Obviamente que tem gente torcendo para que haja qualquer coisa, mas não haverá nada entre Dilma e Lula. Temos uma relação ideológica e política muito forte.”

Aplaudido de pé, o ex-presidente brasileiro deu “dicas” para Portugal sair da crise econômica e criticou a atuação do FMI (Fundo Monetário Internacional), que deve socorrer a economia portuguesa. Ele defendeu também a redução das taxas de juros de bancos europeus em Portugal.

“A crise mundial tem responsáveis diretos: é um sistema financeiro especulador. Eles têm que agir com mais rapidez. Por que o FMI ficava dando palpite quando a crise era na América Latina e agora demora para agir na Europa?”, questionou o ex-presidente, que aconselhou Portugal a investir no mercado interno, como disse ter feito em seu governo.

Rossoni promete apoio à  candidatura de Fruet, mas governador prefere reeleição de Ducci

via O Estado do Paraná

Charge de Simon Taylor.
O presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, chamou de complicada! a posição do governador Beto Richa (PSDB) no processo sucessório em Curitiba.

Ele tem dois excelentes candidatos à  prefeitura. Duas pessoas do mesmo grupo que estiveram com ele em suas campanhas. à‰ complicado!, disse o dirigente tucano, referindo-se ao ex-deputado federal Gustavo Fruet (PSDB) e ao prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), candidato ã reeleição.

Rossoni afirmou que o partido não vai impedir a candidatura de Gustavo Fruet a prefeito de Curitiba, atribuindo a setores da mídia a origem das dúvidas sobre a indicação do ex-deputado para concorrer com Ducci, que foi vice-prefeito do governador em sua administração em Curitiba.

O partido, em tese, já bateu o martelo para liberar o Gustavo para ser candidato. Alguns não querem entender!, comentou.

Temer ainda luta para indicar Pessuti no Banco do Brasil

do Valor Econômico

Futuro de Pessuti ainda incerto.
Para não ficar sem um correligionário no Banco do Brasil, o PMDB movimenta-se para retomar a indicação de Orlando Pessuti para o banco. Como Pessuti milita no meio rural, a tendência é que o partido tente colocá-lo na vice-presidência de agronegócios. Mas a vaga também é pretendida pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, que pressiona para indicar nomes técnicos, e pelo PT, para um apadrinhado seu.

Pessuti foi fundamental no acordo fechado entre o PT e o PMDB paranaenses. A chapa tinha Osmar Dias (PDT) como candidato ao governo estadual e a petista Gleisi Hoffmann (PT) para o Senado. Dias perdeu a disputa, mas Gleisi conseguiu ser eleita.

No começo da gestão Dilma, Pessuti enfrentava resistências do antecessor, Roberto Requião. Mas depois que Requião votou contra o reajuste do salário mínimo para R$ 545, perdeu todas as condições de vetar correligionários.

Antes da mudança no quadro de nomeações, Pessuti era nome forte para a presidência da Conab. Durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, a vaga era da cota do atual vice-presidente, Michel Temer. O presidente da autarquia era Wagner Rossi. Com a ida de Rossi para o Ministério da Agricultura, o PTB assumiu a Conab, indicando Alexandre Magno de Aguiar.

Sindicato denuncia Assembleia por assédio moral

por Katia Brembatti, Euclides Lucas Garcia e Sandro Moser, via Gazeta do Povo

O Sindicato dos Servidores do Legislativo do Paraná (Sindilegis) apresentou, na semana passada, uma denúncia ao Ministério Público de assédio moral coletivo. A categoria aguarda a designação do caso para uma promotoria.

O advogado do Sindilegis, Emerson Fukushima, argumenta que muitos funcionários efetivos (de carreira) estão sendo substituídos por servidores em cargos comissionados (de livre contratação), o que demonstraria que haveria espaço e funções que poderiam ser ocupados pelas pessoas hoje relegadas.

Ele conta que ouve relatos que indicam total falta de critério na definição de quais pessoas foram colocadas de lado! e que muitas passaram a essa condição por causa de desavenças com a atual gestão.

Paulo Bernardo defende ação saneadora na área de concessão de serviço de radiodifusão

da Agência Brasil

Uma ação saneadora para acabar com as operações irregulares no comércio de outorgas no setor de radiodifusão foi defendida hoje (28) pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, ao participar de evento na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

O ministro lembrou que a lei proíbe a venda de outorga até cinco anos depois da concessão. As vendas efetuadas nesse prazo, com o objetivo de ganhar dinheiro, são ilegais e podem levar à  cassação da concessão, ressaltou.

Bernardo informou que o Ministério Público Federal (MPF) está sendo acionado para tomar a medida cabível nesses casos, que é abrir o processo de cassação!.

Artigo de Dr. Rosinha: Curitiba, 318 anos: Entre o passado da “cidade modelo”

por Dr. Rosinha *

Quantas cidades cabem dentro de uma mesma cidade? Aos 318 anos completados neste 29 de março, Curitiba tem mais de 1 milhão e 746 mil habitantes, conforme o Censo 2010 do IBGE. E um PIB per capita de R$ 23,7 mil, segundo dados de 2008.

Em bairros como Batel e Jardim Social, o rendimento médio dos chefes de família chega a ser até 15 vezes superior ao valor médio dos bairros mais pobres. Enquanto o do Batel recebe R$ 8.839 por mês, o do Tatuquara, por exemplo, dispõe de R$ 798.

Não fosse pelo processo de expulsão contínua de faixas de menor poder aquisitivo – cada vez mais empurradas para as cidades da região metropolitana – , essa incrível disparidade dos indicadores sociais entre os bairros de Curitiba seria ainda mais gritante.

Afinal, quantas Curitibas diferentes existem? Como se dá o acesso aos serviços públicos, aos bens culturais, aos bens de consumo, ao esporte, ao lazer, em cada região da cidade?

Rocha Loures divulga carta contra Ricardo Barros e esquenta briga pela presidência da Fiep

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Rodrigo Rocha Loures, enviou nesta segunda-feira (28) uma carta aos 99 sindicatos que compõem o sistema SESI/SENAI desancando o secretário da Indústria e Comércio, Ricardo Barros (PP).

No documento, o presidente da Fiep acusa Barros de utilizar um sindicato “laranja” — o Sindibio — para alimentar uma disputa judicial em torno do prazo para a inscrição de chapas. A eleição da entidade está prevista para o dia 8 de agosto.

Para Rocha Loures, o secretário da Indústria e Comércio quer utilizar o cargo que ocupa para tomar de assalto a presidência da Fiep.

“No fundo, toda a briga que eles começaram, tem por evidente objetivo garantir que o político Ricardo Barros estenda ao máximo a sua permanência à  frente da secretaria de indústria e comércio, uma vez que teria de deixá-la para ser candidato a presidência da Fiep, objetivo que persegue com afinco e que o leva a tumultuar o processo eleitoral com todos os meios possíveis”, escreveu o presidente da Fiep.

Rocha Loures prossegue na carta:

“Ele [Barros] sabe que, sem seu cargo de secretário, não terá condições de adular, ou mesmo, constranger e intimidar os industriais na busca do seu desiderato. Temos ouvido relatos, nos últimos dias, de industriais e, até funcionários da Fiep, que têm sido convidados ao gabinete da Secretaria de Indústria e Comércio para serem convencidos a apoiá-lo na candidatura à  presidência”.

Clique em “mais” para ler a íntegra da carta de Rocha Loures enviada aos sindicatos

Zeca Dirceu assume vice-liderança do PT na Câmara

Zeca Dirceu (PT).
O deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) vai assumir a vice-liderança do PT na Câmara Federal. Zeca foi indicado pelo líder Paulo Teixeira e vai participar da coordenação da bancada junto aos demais 21 vice-líderes e aos presidentes petistas das Comissões Permanentes.

O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza, também foi convidado a participar da coordenação.

Estou muito feliz com esta indicação do nosso líder na Câmara dos Deputados, e tenho consciência da importância deste trabalho de coordenação da bancada. Vamos trabalhar para fortalecer cada vez mais as posições do PT na Câmara e para que esta articulação traga bons resultados para o Paraná e para o país!, disse Zeca Dirceu.

Procedimento

Os vice-líderes previstos no regimento interno da Câmara, além de integrarem a coordenação da bancada, respondem pelo líder na ausência deste ou quando dele recebem orientação expressa neste sentido. O líder pode indicar vice-líderes para auxiliá-lo na condução dos trabalhos, tanto internos quanto nas comissões e no Plenário Ulysses Guimarães.