Candidatura de Ciro “dificulta” permanência de Osmar no PDT; ouça

A candidatura de Ciro Gomes poderá ser o principal empecilho, no PDT, para a candidatura de Osmar Dias ao governo do Paraná.

Ouça trecho da entrevista:

O ex-vice-presidente do Banco do Brasil explicou isso numa entrevista, nesta segunda-feira (10), à rádio BandNews FM de Curitiba.

Osmar condicionou a permanência no PDT à liberdade de “pular a cerca” para apoiar seu irmão Alvaro Dias (PV-PR) à Presidência da República.

Há dois meses, o Blog do Esmael anotou que o ex-senador estaria preparando a saída do PDT e flertando com o PSB — partido que sustenta o governador Beto Richa (PSDB) na Assembleia Legislativa.

“Como estou num partido que tem candidato à Presidência da República, tenho uma conversa franca [com a direção nacional do PDT]”, frisou o pré-candidato ao governo do Paraná.

Osmar disse que pode permanecer no PDT desde que ele possa fazer as alianças que for preciso fazer para ganhar as eleições de 2018.

“Eu apoio a candidatura do Alvaro em qualquer partido que ele esteja”, disse Osmar, sinalizando que Ciro Gomes poderá emperrar sua candidatura pelo PDT.

“Não posso em nome das alianças partidárias trair as questões familiares. Eu terei liberdade para apoiar Alvaro? Caso não, vou ver o que fazer”.

Osmar Dias revelou que teve uma conversa nacional, mas ainda espera uma posição definitiva da direção nacional do PDT.

Na entrevista, o pré-candidato pedetista também criticou a Operação Carne Fraca e a reforma da previdência.

Os comentários estão encerrado.