Caiu o lobista Adriano Pires da presidência da Petrobras

O lobista Adriano Pires não resistiu uma semana na presidência da Petrobras.

Pires pegou carona na desistência de Rodolfo Landim assumir a presidência do conselho de administração da estatal de petróleo.

A campanha eleitoral e a defesa de uma Petrobras para os brasileiros

Adriano Pires, o Breve, alegou que não queria ser submetido a desgastes e ataques no comando da Petrobras por sua indicação, apontada por setores da Petrobras como um conflito de interesses.

O presidente da Petrobras que caiu hoje foi uma indicação de especuladores e bancos, no entanto, a desonesta velha mídia colocou esse “jegue” na canga do Centrão.

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) demitiu o general da reserva Joaquim Silva e Luna da presidência da Petrobras. No lugar do militar, indicou o consultor Adriano Pires, fundador do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) – uma entidade de lobby no setor petrolífero.

Economia

Lula debate no Rio Petrobras e preço dos combustíveis; assista o vídeo

O Blog do Esmael retratou aqui a ficha de Adriano Pires, que desabou.

A troca de nomes na Petrobras é para continuar tudo como está.

Bolsonaro, até agora, não deu sinais de que irá revogar a política de Preço de Paridade de Importação (PPI).

A PPI faz com que os combustíveis tem os preços equivalentes às áreas de guerra no mundo, embora o Brasil seja exportador de petróleo e consiga extrair o produto com valor muito reduzido.