Boris Johnson volta para o ‘bico do corvo’ com vazamento de fotos sobre festas na pandemia

Fotos divulgadas mostrando o primeiro-ministro britânico Boris Johnson bebendo no número 10, a sede do governo, durante o lockdown em novembro de 2020, voltou a abalar a política no Reino Unido.

As fotos de Boris Johnson bebendo em um evento de Downing Street se parece muito com uma festa, segundo Paul Brand, da ITV News, que obteve as imagens.

As fotos foram tiradas na despedida de Lee Cain, diretor de comunicação do primeiro-ministro, em 13 de novembro de 2020.

As imagens vazadas alimentam alegações de que Johnson estava mentindo quando disse aos parlamentares mais de um ano depois que todas as orientações do Covid foram seguidas em Downing Street e que as pessoas cumpriram as regras sanitárias.

O deputado conservador Sir Roger Gale disse ao Times Radio que “há uma resposta” quando um primeiro-ministro engana o parlamento da caixa de despacho.

Boris Johnson no bico do corvo
Primeiro-ministro Boris Johnson voltou ao bico do corvo porque mentiu sobre festas na pandemia

– É absolutamente claro que houve uma festa, que ele compareceu, que estava brindando a um de seus colegas. E, portanto, ele nos enganou da caixa de despacho. E, honrosamente, há uma resposta – disse o parlamentar, que sugere um voto de desconfiança contra o primeiro-ministro britânico.

– Temos que ter alguém no leme em quem possamos realmente confiar e em cuja palavra possamos confiar. Isso não me parece ser o Sr. Johnson – declarou o deputado conservador, que levanta a “primeira demanda de renúncia” dos parlamentares conservadores sobre as últimas fotos do partido.

A ex-líder dos conservadores escoceses Ruth Davidson disse que estava claro que Boris Johnson havia mentido ao Parlamento e que sua posição era insustentável.

– Há agora evidências fotográficas de que quando o primeiro-ministro se levantou no parlamento e foi perguntado diretamente se havia um partido no nº 10 nesta data e ele respondeu ‘não’, ele mentiu ao parlamento – disse ela. Eu não acho que seu trabalho seja sustentável e sua posição seja sustentável. O cargo de primeiro-ministro deve estar acima de ser traído pela pessoa que o ocupa”, completou.

Veja também  Diabólico, Bolsonaro planeja a privatização do SUS

The Guardian