Bolsonaro prevê salário mínimo de R$ 1.294 enquanto Dieese vê necessidade de R$ 7 mil

► Salário mínimo previsto para 2023 não terá aumento acima da inflação

O Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) estima salário mínimo de cerca de R$ 7 mil para atender às necessidades básicas de uma família brasileira. Mas, infelizmente, no projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), de 2023, o governo Jair Bolsonaro (PL) prevê apenas de R$ 1.294.

Para o mês de março, o Dieese estima que salário mínimo já deveria ter valido R$ 6.394,76 ante o valor atual de R$ 1.212.

Sistema financeiro usou golpe contra Dilma para sequestrar o orçamento do País, dizem economistas

O levantamento Dieese se deu com base nos resultados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos e levou em consideração o salário mínimo para sustentar uma família de quatro pessoas, dois adultos e duas crianças.

Bolsonaro tem coração de pedra. O salário mínimo previsto para 2023 será de R$ 1.294 e não terá aumento acima da inflação.

O Dieese afirma que são necessários R$ 7 mil para suprir as necessidades básicas da família do trabalhador.

Ratinho Junior autoriza aumento de 4,96% na tarifa de água em maio e já avisa novíssimo reajuste depois das eleições

O reajuste minguado consta do PLDO de 2023, enviado ao Congresso Nacional.

O reajuste para o ano que vem segue a projeção de 6,7% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para este ano.

Moral da história: o salário mínimo nacional é 5,3 menor que o valor sugerido pelo Dieese, qual seja, essa diferença é conhecida como “mais valia” e é apropriada pelo capitalista.