Bolsonaro derruba mais um presidente da Petrobras, mas mantém preços dos combustíveis altos

O presidente Jair Bolsonaro derrubou o novo presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, mas manteve a atual política paritária de preço internacional dos combustíveis.

No lugar de Coelho, o mandatário cessante colocou o secretário de Desburocratização do Ministério da Economia, Caio Mário Paes de Andrade, após 40 dias, quando degolou o general Joaquim Silva e Luna e o lobista Adriano Pires foi impedido de assumir o cargo.

Em nota, a Petrobras afirmou que “O Brasil vive atualmente um momento desafiador, decorrente dos efeitos da extrema volatilidade dos hidrocarbonetos nos mercados internacionais”.

– Adicionalmente, diversos fatores geopolíticos conhecidos por todos resultam em impactos não apenas sobre o preço da gasolina e do diesel, mas sobre todos os componentes energéticos. Dessa maneira, para que sejam mantidas as condições necessárias para o crescimento do emprego e renda dos brasileiros, é preciso fortalecer a capacidade de investimento do setor privado como um todo – disse o comunicado.

Bolsonaro tem demitido sucessivos presidentes da Petrobras – e das Minas e Energia – com o intuito de driblar as críticas dos consumidores em relação aos aumentos abusivos dos combustíveis. A intenção do presidente é simular que está fazendo alguma coisa, mas, na prática, ele deseja que fique do jeito que está: a estatal de petróleo foi sequestrada pelos especuladores e acionistas privados.

Se quisesse reduzir os preços dos combustíveis, com uma única canetada, seria possível. Bastaria um decreto presidencial modificando a política de preços da Petrobras.

Quem é o novo presidente da Petrobras

Caio Mario Paes de Andrade, empreendedor serial em tecnologia de informação e mercado imobiliário, tem formação em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduação em Administração e Gestão pela Harvard University e Mestre em Administração de Empresas pela Duke University. É fundador e conselheiro do Instituto Fazer Acontecer. Em 2019 passou da iniciativa privada para a área pública com a missão de ajudar a Transformação Digital do Brasil. Foi Presidente do SERPRO até agosto de 2020, quando assumiu a Secretária Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, onde é responsável pela Plataforma GOV.BR. É membro do Conselho de Administração da EMBRAPA e da PPSA.

Veja também  Centrão vai colocar um pé na canoa de Bolsonaro e outro pé na canoa de Lula em 2022

Bolsonaro lidera pesquisa no preço do diesel – maior valor em 18 anos

Nunca antes na história deste país o diesel custou tão caro quanto agora.

O presidente cessante Jair Bolsonaro lidera a disparada no preço do diesel, o maior valor em 18 anos, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

Na semana passada, o combustível foi vendido, em média, a R$ 6,943 por litro. Um verdadeiro assalto aos consumidores brasileiros.

O preço médio do diesel já ultrapassa R$ 7 por litro em 13 estados, ressalta a ANP.

A Agência ainda constatou que São Paulo tem o maior e o menor preços do diesel. Em Guarujá, a R$ 8,59, enquanto em Jaú a R$ 6,25.