Bolsonaro debocha de meio milhão de pessoas que assinaram a Carta pela Democracia

O presidente cessante Jair Bolsonaro (PL), pelas redes sociais, debochou de meio milhão de pessoas que assinaram a “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito!” – documento articulado pela Faculdade de Direito da USP.

[O Blog do Esmael diponibiliza o link abaixo para assinatura e os nomes dos que já subscreveram o documento.]

Em três dias, a Carta pela Democracia obteve mais de 500 mil apoiadores online e pode chegar a 1 milhão até segunda-feira (1º de agosto).

Pelo Twitter, Bolsonaro debochou simulando uma “CARTA DE MANIFESTO EM FAVOR DA DEMOCRACIA” à sua imagem e semelhança:

– Por meio desta, manifesto que sou a favor da democracia. Assinado: Jair Messias Bolsonaro, Presidente da República Federativa do Brasil – zombou o inquilino do Palácio do Planalto.

A Carta pela Democracia, articulada pela USP, tem a assinatura de empresários, banqueiros, professores, estudantes, advogados, jornalistas, engenheiros, religiosos, psicólogos, médicos, dentistas, economistas, cientistas, políticos, enfim, o documento ainda está aberto para receber adesões [abaixo, siga o link].

Bolsonaro afirmou que que não precisa de “cartinha” para demonstrar seu apoio às instituições.

Visivelmente abalado pela repercussão da Carta Pela Democracia, Bolsonaro disse que não precisa de apoio ou sinalização, de quem quer que seja, para mostrar que defende a democracia, a liberdade, o respeito à Constituição.

– Se eu defender menos transparência nas eleições, financiar ditaduras comunistas na América Latina, manter diálogos cabulosos com o narcotráfico e tentar controlar a mídia, serei chamado de democrata? Ou na verdade isso não depende do que se diz, mas de que lado você está? – atacou na noite de quinta-feira (28/07), sem citar nomes dos adversários de esquerda.

Bolsonaro zomba de meio milhão de pessoas que assinaram a carta pela democracia.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.

Faça parte dessa história. Assine a Carta.

CONFIRA LISTA DE SIGNATÁRIOS 

LEIA TAMBÉM