Deputada Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT

Auxílio Emergencial: ‘ninguém sobrevive com apenas R$ 250 enquanto sobe a luz e o gás’, diz Gleisi

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), criticou o presidente Jair Bolsonaro por manter o auxílio emergencial em apenas R$ 250 e subir preços de alimentos, energia e gás de cozinha. “A renda dos mais pobres vai cair 17,7% este ano”, denunciou.

Bolsonaro editou nesta segunda-feira (5/7) um decreto que prorroga por mais três meses o pagamento do auxílio emergencial 2021, que varia de R$ 150 (para quem mora sozinho) a R$ 375 (mães chefes de família).

O auxílio emergencial teria inicialmente apenas quatro parcelas, que começaram a ser pagas em abril. As novas parcelas do auxílio serão pagas em agosto, setembro e outubro.

Leia também

“Decisão de Bolsonaro de prorrogar auxílio emergencial como está é cruel com o povo brasileiro”, disse Gleisi. “Se realmente quisesse ajudar o povo, elevaria o valor pra R$ 600. Com o preço dos alimentos, da energia e do botijão de gás nas alturas, ninguém sobrevive com R$ 250”, destacou.

A dirigente petista afirmou que “com a inflação puxada pelo preço dos alimentos, gás de cozinha e luz, renda dos mais pobres vai cair 17,7% este ano, enquanto da classe alta só cresce”.

“O povo vai vendo como funciona governo neoliberal de Bolsonaro, que reduz políticas sociais e não faz nada para gerar empregos”, completou Gleisi Hoffmann.