A temível “boca do jacaré” ameaça a reeleição de Jair Bolsonaro; entenda esse conceito de pesquisa

Aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL) estão preocupadíssimos com a “boca de jacaré” aberta numa sondagem da Atlas.

“Se esses fossem os candidatos, em quem você votaria nas próximas eleições presidenciais?”, perguntaram os pesquisadores nessa auditoria nacional.

Segundo o instituto, o ex-presidente Lula (PT) pode vencer no primeiro turno as eleições de 2022 dentro da margem de erro de 1% do levantamento realizado entre 27 e 29 de novembro de 2021. Foram ouvidas 4.401 pessoas.

Os gráficos de intenção de votos criam uma “boca de jacaré” imaginária, que, no marketing e na política, fala-se que não tem “salvação” quem entrar nela. Ou seja, não há recuperação do político e pode-se chamar o padre para a extrema-unção. Um horror.

  • Lula 42.8%
  • Jair Bolsonaro 31.5%
  • Sergio Moro 13.7%
  • Ciro Gomes 6.1%
  • João Doria 1.7%
  • Rodrigo Pacheco 0.9%
  • Felipe d’Avila 0.1%
  • Não sei / voto branco / voto nulo 3.2%
A temível "boca do jacaré" ameaça a reeleição de Jair Bolsonaro; entenda esse conceito das pesquisas
A temível “boca do jacaré” ameaça a reeleição de Jair Bolsonaro; entenda esse conceito das pesquisas

A “boca de jacaré” se forma quando um candidato é ultrapassado pelo adversário numa série de pesquisas.

Em seu melhor momento, em maio de 2021, Bolsonaro tinha 37% das intenções de voto enquanto o pior momento de Lula, em janeiro de 2021, tinha 22.3%.

Agora, no entanto, a situação se inverteu: Lula tem 42% ante 31.5% de Bolsonaro.

Em um eventual segundo turno, Lula continua imbatível e Bolsonaro o adversário com melhor desempenho:

  • Lula 50.5% x 36% Bolsonaro
  • Lula 46.4% x 29.2% Sergio Moro
  • Lula 42.3% x 21.3% Ciro Gomes
  • Lula 47.2% x 15.4% João Doria

Clique aqui para ler a íntegra da pesquisa do Atlas.

Leia também

Xingado de traidor por Bolsonaro, Sergio Moro ataca o PT para desviar atenção do respeitável público

Confira os onze pré-candidatos a presidente do Brasil

Tudo que Lula disse sobre Moro e Bolsonaro na entrevista à Rádio Gaúcha [vídeo]