Sergio Moro é uma tentativa de terceira via com potencial de votos, diz senador Alvaro Dias

Sergio Moro é uma tentativa de terceira via com potencial de votos, diz senador Alvaro Dias [ouça]

Por Mareli Martins

Em entrevista à Rádio Clube nesta quinta-feira (04/11) o senador Alvaro Dias (Podemos-PR) falou sobre a filiação do ex-juiz da Lava Jato e ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, no Podemos. A intenção do partido é que Moro seja candidato à Presidência da República. (Abaixo, ouça a íntegra da entrevista).

“É uma tentativa de terceira via com potencial de votos. Essa polarização não faz bem ao país. Queremos oferecer uma terceira via, rejeitando o discurso de ódio. Nós avaliamos que ele é melhor nome com potencial de votos, a mídia tem interesse. E ele tem mais apoio popular que os outros que se colocam como terceira via. Abri mão da minha candidatura exatamente por isso”, disse o senador Alvaro Dias.

O senador destacou que fato de Moro ter a rejeição da esquerda e da direita pode contribuir para que a candidatura seja firmada como terceira via. “ O Moro exerce esse protagonismo e quem não tem esse protagonismo não consegue nem chegar ao segundo turno. Ele tem essa rejeição de esquerda e a extrema direita, mas consegue chegar mais ao centro. O Podemos acredita na candidatura do juiz Sérgio Moro como uma verdadeira terceira via”, afirmou o senador Alvaro Dias.

O senador alfinetou algumas candidaturas que usam a bandeira de terceira via. “Existem ambições legítimas, outras descabidas, primeiro tem que olhar o estado que esses candidatos representam. Pois tem candidato que não tem potencial nem no próprio estado, são candidaturas para ocupar espaço e ter visibilidade e melhorar o ibope”, declarou.

Sobre a aliança do Podemos com o União Brasil (fusão dos partidos DEM e PSL), o senador defendeu que é possível uma aliança em torno da candidatura de Sergio Moro.

“Acho possível exatamente porque houve o racha no PSL, entre o laranjal e os outros. Existe essa possibilidade de apoio, pois ele desejam a candidatura do Moro”.

Alvaro Dias evitou críticas ao presidente Bolsonaro.

“Hoje meu papel é de construtor, não quero ficar atirando pedras. Evidente que eu quero mudanças e elas não estão ocorrendo, sem desmerecer quem quer que seja, mas acho que o Brasil merece mais. Não basta o discurso, uma eventual valentia ou um gesto mais arrojado, precisamos de inteligência e coragem para mudar e promover reformas, sem jogar combustível no incêndio, por isso evito fazer a avaliação que deveria fazer”, concluiu o senador.

OUÇA A ENTREVISTA

Leia também

Deltan Dallagnol também vai se filiar no Podemos para formalizar entrada na política

O Antagonista avalia como fake candidatura de Moro sem palanques regionais

Anti-Moro: André Vargas vem aí como candidato a deputado federal pelo Paraná

Eleições no Paraná: “Se não houver interesse do Ratinho na nossa aliança, o Podemos terá candidato ao Governo do Paraná”, diz Alvaro Dias

Em entrevista à Rádio Clube nesta quinta-feira (4), o senador Alvaro Dias (Podemos) falou sobre a disputa ao Senado e o fato do governador Ratinho Junior (PSD) demonstrar interesse na candidatura do chefe da Casa Civil, Guto Silva para o Senado.

Alvaro Dias disse que há um compromisso do Podemos para a candidatura de Ratinho Junior à reeleição, mas se não houver uma aliança, o Podemos poderá lançar candidatura própria ao Governo do Paraná. (Ouça a declaração no final do texto)

“Se não houver uma aliança com o governador do Paraná, o Podemos terá candidatura própria ao Governo do Estado. Nós temos um compromisso preliminar com o governador Ratinho Junior, dessa forma, não teremos candidato ao governo. Da nossa parte o compromisso está mantido. Mas se esse compromisso não se confirmar, se não houver interesse do governador a essa aliança, o Podemos terá um candidato a governador”, disse Alvaro Dias.

O senador destacou que as pesquisas apontam para sua candidatura novamente ao Senado. “Cada um tem que preservar o seu patrimônio, eu venci nove eleições no Paraná. Tenho a felicidade e honra de ter sido recordista de votos no Estado, mais de quinze milhões de voto. E tenho levado o nome do Paraná para muitos lugares. Isso tudo me dá a satisfação de dever cumprido, mas evidentemente não me dá o direito de fugir da responsabilidade. Não posso fugir ao combate. Não existe o município do Paraná que não tenha a nossa marca política. E cabe a população avaliar. E pelas pesquisas de hoje eu devo ser candidato. Se a população me convocar, eu vou”, afirmou.

Há também hipótese do governo estadual. Se não houve esse acordo do Podemos com o governador Ratinho, nós podemos disputar o Governo do Estado. Nós temos um compromisso com o Ratinho Junior, mas se esse compromisso não se confirmar, o Podemos pode ter candidatura própria ao Governo do Paraná.