Quando visitou Berlim, na Alemanha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se encontrou com o líder social-democrata Olaf Scholz. Foto: Ricardo Stuckert

PT denuncia censura a Lula durante encontro com novo chanceler da Alemanha Olaf Scholz

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), antítese de Jair Bolsonaro, está sendo bastante festejado durante seu périplo pela Europa. Ontem, por exemplo, ele encerrou visita a Berlim com encontro com Olaf Scholz, vencedor da eleição alemã em setembro.

“Falamos sobre o processo que está em curso para a formação de um novo governo e sobre a importância de fortalecer a cooperação Brasil Alemanha”, reportou Lula.

O diabo é que a velha mídia corporativa brasileira, controlada por bancos e fundos de especulação, censuraram a viagem de Lula ao Velho Continente. Deram ordem de não fazer nenhum registro do petista entre as principais lideranças mundiais.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), denunciou essa barbaridade que ele considerou um desrespeito aos brasileiros.

“Em respeito aos cidadãos brasileiros, as concessionárias de serviços públicos de radiodifusão deveriam cobrir a viagem à Europa daquele que, a julgar pelas pesquisas que divulgam, será provavelmente o próximo presidente da República”, disse Haddad, que se prepara para concorrer ao governo de São Paulo.

O líder do PT na Câmara, deputado Bohn Gass (RS), pelo Twitter, questionou a ausência de função social no jornalismo brasileiro.

“Que jornalismo é esse que transmite debate de prévia tucana, mas esconde o encontro de Lula com Olaf Sholz, novo chanceler da Alemanha, a principal economia da Europa?”, da velha mídia corporativa veio a resposta ao ansioso petista: cri, cri, cri…

Lula estreita relação com social-democracia alemã

O ex-presidente Lula se reuniu com o presidente da Fundação Friedrich Ebert e ex-presidente do Parlamento Europeu Martin Schulz na sexta-feira (12/11), em Berlim. O encontro faz parte da agenda de Lula na Europa.

Schulz e Lula se reencontraram depois de estarem juntos na última viagem de Lula para a Alemanha, em 2020, e de Schulz ter visitado Lula quando ele estava preso injustamente em Curitiba, em agosto de 2018, durante a campanha presidencial daquele ano.

Schulz hoje preside a Fundação do SPD, o partido social-democrata alemão, que ganhou as eleições na Alemanha em setembro e está em negociações para a formação do governo alemão que irá substituir a chanceler Angela Merkel.

Esteve presente também na reunião o ex-ministro e senador Aloizio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo, do PT, que tem uma parceria de décadas com a Friedrich Ebert em estudos, pesquisas e cursos de formação.

Na reunião, se conversou sobre o aprofundamento dessa cooperação em debates e sobre a formulação de políticas públicas.

Mais cedo, Lula se encontrou também com as deputadas do SPD Yasmin Fahimi e Isabel Cadermatori, eleitas na última eleição.

Leia também

15 de Novembro, Proclamação a República do Brasil: uma obra inacabada

Vox Populi: Lula vence no primeiro turno

Lula virou em Curitiba; pesquisa mostra estrago de candidatura Moro no projeto de reeleição de Bolsonaro