Moro bate em Lula e "esquece" Bolsonaro, reacendendo tese de que Moro e Bolsonaro são 'uma coisa só'

Moro bate em Lula e “esquece” Bolsonaro, reacendendo tese de que Moro e Bolsonaro são ‘uma coisa só’

O suspeito ex-juiz Sergio Moro (Podemos), aos poucos, vai mostrando a que veio na política. Ele deixou de lado as críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para centrar fogo no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A ideia do moço da finada Lava Jato é tentar polarizar com o petista e, consequentemente, ultrapassar Bolsonaro. Mas também há dois aspectos que passam longe aos olhos.

Ocorre que os manuais dos principais estrategistas eleitorais indicam que as críticas de Moro seriam mais efetivas se fossem dirigidas a Bolsonaro, não a Lula, por um motivo simples: o atual mandatário está mais próximo de Moro do ponto de vista das intenções de voto. O petista está mais distante do alcance do ex-juiz.

Segundo a Paraná Pesquisas, o ex-presidente Lula lidera a disputa de 2022 e pode vencer no primeiro turno.

Pelo comportamento de Sergio Moro, que resolveu bater em Lula e poupar Bolsonaro, presume-se duas questões:

1- A esposa do ex-juiz Rosângela Moro, a “Janja Moro”, pareceu ter razão quando disse que Moro e Bolsonaro são ‘uma coisa só‘; e

2- Moro aceitou o papel de linha auxiliar na campanha pela reeleição de Jair Bolsonaro, ao poupar o ex-chefe.

Moro bate em Lula e "esquece" Bolsonaro, reacendendo tese de que Moro e Bolsonaro são 'uma coisa só'
Moro bate em Lula e “esquece” Bolsonaro, reacendendo tese de que Moro e Bolsonaro são ‘uma coisa só’

Lula disse na Espanha que, ‘sem toga’, Moro é candidato como ele.

O suspeitíssimo ex-juiz devolveu pelo Twitter: “Antes, o PT elogiou as eleições na Nicarágua, onde os opositores foram presos. Agora, é o Lula quem minimiza a repressão contra protestos na ditadura cubana e critica os Estados Unidos, uma democracia. Não dá para flertar com o autoritarismo”.

Note que Sergio Moro, em 2018, mandou prender o principal opositor [Lula] para garantir a vitória de Bolsonaro. Logo depois o ex-juiz da Lava Jato fora agraciado com o cargo de ministro da Justiça. Enfim, o telhado do moço é uma vidraça.

Leia também

Comitê Lula Livre lança livro sobre farsa da Lava Jato na “casa” de Moro, em Curitiba

Nas redes sociais também dá Lula, diz pesquisa