Gasolina a R$ 8 faz a festa de especuladores e acionistas da Petrobras; imagine se a empresa fosse privada...

Gasolina a R$ 8 faz a festa de especuladores e acionistas da Petrobras; imagine se a empresa fosse privada…

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) aponta que o litro da gasolina está sendo vendido por até R$ 8 no Rio Grande do Sul.

O preço médio do combustível subiu 2,25% na semana passada nos postos do País, chegando a R$ 6,710 o litro.

A gasolina cara representa uma festa de especuladores e acionistas da Petrobras, que adota a política de paridade de preços internacionais desde 2016.

Uma das maiores produtoras de petróleo do mundo, a Petrobras penaliza os consumidores internos aplicando preços internacional nos combustíveis cujos preços variam com a cotação do dólar e do petróleo.

O presidente Jair Bolsonaro teria condições de rever esse perverso quadro, escorchante, no entanto, prefere permanecer do lado de especuladores.

Confira os preços por estado

  • Acre (R$ 7,600);
  • Alagoas (R$ 7,198);
  • Amazonas (R$ 7,350);
  • Bahia (R$ 7,299);
  • Ceará (R$ 7,190);
  • Distrito Federal (R$ 7,499);
  • Espírito Santo (R$ 7,090);
  • Goiás (R$ 7,399);
  • Mato Grosso (R$ 7,230);
  • Minas Gerais (R$ 7,599);
  • Pará (R$ 7,250);
  • Paraná (R$ 7,300);
  • Pernambuco (R$ 7,439);
  • Piauí (R$ 7,299);
  • Rio de Janeiro (R$ 7,749);
  • Rio Grande do Norte (R$ 7,299);
  • Rio Grande do Sul (R$ 7,999);
  • Rondônia (R$ 7,030);
  • São Paulo (R$ 7,399);
  • Tocantins (R$ 7,129).

Com o apoio da velha mídia corporativa, Bolsonaro ataca a Petrobras pelos preços abusivos, porém ele nada faz para reverter a política atual de preços atrelada ao dólar e à cotação internacional.

Suas declarações que trafegam entre a tolice e a má-fé visam desviar do real problema. Ora ele culpa o ICMS no estado, ora a condição de empresa pública da companhia. Essas duas questões nada têm a ver com o preço da gasolina. Somente a especulação explica a tungada nos consumidores brasileiros.

Bolsonaro, ávido em atacar a Petrobras, fala em fatiar a empresa para privatizá-la. Por trás desse discurso há a intenção do presidente agradar os barões da mídia –que, por meio de seus fundos de especulação, sugam a energia da estatal de petróleo.

Se está ruim assim, com a Petrobras pública/mista, imagina se ela fosse privada… Seria muito pior. Vide o preços abusivos nas tarifas de água, luz, pedágio depois da desregulamentação (concessão, privatização, etc.).

Leia também

Petrobras reproduz discurso mentiroso de Bolsonaro sobre culpa de governadores pelos preços dos combustíveis [vídeo]

Bolsonaro anuncia novo aumento dos combustíveis e promete confiscar dividendos para conter preços aos consumidores

Fatos e dados sobre a política de preços da direção da Petrobrás, segundo a AEPET