Oposição a Ratinho Junior avança no Paraná enquanto a Caravana de Requião passa por Londrina nesta quinta-feira (25). Foto: Eduardo Matysiak

Caravana Requião passa em Londrina hoje à noite enquanto oposição a Ratinho Junior avança no Paraná

Evento na região Norte do Paraná vai reunir lideranças de diferentes partidos políticos, movimentos sociais e sindicais.

A Caravana Requião realiza nesta quinta-feira (25/11) seu oitavo encontro na cidade de Londrina, Norte do Paraná, às 19h30, no Hotel Crystal (Rua Quintino Bocaiúva, 15). O Blog do Esmael transmite a sessão ao vivo para o Brasil e o mundo.

O movimento plural e suprapartidário que pretende apoiar a pré-candidatura de Roberto Requião (sem partido) ao Governo do Paraná contará com a presença de lideranças de diversos partidos políticos, movimentos sociais e sindicais. A Caravana está percorrendo todas as regiões do estado, buscando ouvir a população e somar forças para a reconstrução do Paraná.

Caravana Requião ao vivo – direto de Londrina

Por onde passou e vai passar a Caravana de Requião

  • Francisco Beltrão: dia 23/09 – quinta-feira
  • Jacarezinho: dia 07/10 – quinta-feira 19h30
  • Ponta Grossa: Dia 23/10 – sábado 9h30
  • Guarapuava: dia 28/10 – quinta-feira 19h30
  • Paranaguá: dia 05/11 – sexta-feira 19h30
  • União da Vitória: dia 11/11 – quinta-feira
  • Maringá: dia 18/11 – quinta-feira
  • Londrina: dia 25/11 – quinta-feira
  • Paranavaí: dia 02/12 – quinta-feira
  • Foz do Iguaçu: dia 09/12 – quinta-feira
  • Cascavel: dia 16/12 – quinta-feira
  • Curitiba: [janeiro, data a definir]

“É momento de união, por isso convidamos a todos, independentemente do partido político, para que venham conosco nessa importante jornada, e estabelecermos desde já uma frente ampla, vigorosa de coalisão, e que possa trazer de novo a esperança para retomar os rumos do nosso Paraná”, convocou o ex-senador Roberto Requião.

O evento é aberto ao público e Requião atenderá a imprensa local às 19h.

Oposição a Ratinho Junior avança no Paraná

Se Ratinho Junior (PSD) teve uma eleição fácil em 2018, quando praticamente disputou sozinho, com candidatos poucos musculosos eleitoralmente, o atual governador não pode esperar o mesmo ‘mamão com açúcar’ na disputa do ano que vem. A oposição ao mandatário avança para impedir sua reeleição em 2022.

Além de Requião, que pode liderar uma federação partidária progressista –com PDT, PSB, PCdoB, PSOL e PT– duas outras possíveis candidaturas assombram o sono de Ratinho Junior.

O senador Flávio Arns (Podemos) é a “arma secreta” de Alvaro Dias (Podemos), caso o governador não cumpra o acordo de apoiá-lo na reeleição do Senado. Nesse pacote, vem a candidatura do ex-juiz suspeito Sergio Moro (Podemos).

No cenário que Ratinho Junior vai de Moro e Alvaro, os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) ensaiam apresentar a candidatura do ex-prefeito de Maringá, Silvio Barros II (PP), como candidato da “terceira via” ao Palácio Iguaçu [sede do governo estadual paranaense]. Silvio é irmão do deputado Ricardo Barros (PP), líder do governo na Câmara.

Ratinho Junior também trabalha com a hipótese da “neutralidade”, isto é, ele não subiria no palanque presidencial de Bolsonaro nem de Moro. Para isso, o governador conta com a candidatura própria do PSD ao Palácio do Planalto. Nesse sentido, o partido anunciou a pré-candidatura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG), cuja intenção de voto fica abaixo da margem de erro [0,4%, segundo a Paraná Pesquisas].

Ocorre que o PSD de Gilberto Kassab flerta com a possibilidade de indicar o vice na chapa do ex-presidente Lula e, com isso, complicar a vida de Ratinho Junior.