Bolsonaro participa de motociata no Catar enquanto Lula é recebido por Emmanuel Macron na França

Bolsonaro participa de motociata no Catar enquanto Lula é recebido por Emmanuel Macron na França

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou de motociata em Doha, no Catar, enquanto o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) era recebido pelo presidente da França Emmanuel Macron. Lula e Bolsonaro polarizam a disputa presidencial de 2022.

“Aquilo que foi plantado no Brasil pelos motociclistas está pegando e vai pegar no mundo todo. Um abraço a todos. Se Deus quiser vai ser um passeio muito proveitoso aqui no Qatar”, disse Bolsonaro após um passeio de 40 minutos.

Bolsonaro foi acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, além de numerosa comitiva.

O presidente brasileiro também se reunirá com o emir Tamin bin Hamad al Thani e o premier Khalid ibn Khalifa al Thani. Na agenda Bolsonaro ainda visita um dos estádios que serão sede da próxima Copa do Mundo de 2024.

Bolsonaro passeia de motocicleta

Lula é recebido na França com honras de chefe de Estado

Já Lula, em Paris, foi recebido hoje pelo presidente da França, Emmanuel Macron, na residência oficial do chefe de Estado francês, o Palácio do Eliseu. O encontro teve protocolo de chefes de Estado.

Macron prefere se encontrar com o diabo a receber Bolsonaro, que, em 2019, foi desrespeitoso com a primeira-dama francesa Brigitte Macron.

Na época, entre o debate sobre as queimadas na Amazônia, Bolsonaro virou notícia internacional ao reforçar uma piada feita em rede social com Brigitte, a mulher de Macron. Um seguidor do presidente Bolsonaro postou a foto de Brigitte e de Michelle (primeira-dama brasileira), dizendo que Macron o estaria perseguindo por inveja. O presidente do Brasil respondeu: “Não humilha cara. Kkkkk”. A comparação se referia às idades das duas esposas e dava a entender que Bolsonaro teria vantagem porque a sua era mais jovem.

Antes de chegar à França, o ex-presidente Lula esteve na Bélgica para discursar no Parlamento Europeu, onde foi aplaudido de pé, e na Alemanha para reuniões com os social-democratas que venceram as eleições.

Lula sendo recebido por Macron