Bolsonaro anuncia novo aumento dos combustíveis e promete confiscar dividendos para conter preços aos consumidores

Bolsonaro anuncia novo aumento dos combustíveis e promete confiscar dividendos para conter preços aos consumidores

O presidente Jair Bolsonaro deu informações contraditórias nesta segunda-feira (1º/11), na Itália, acerca de novo aumento nos preços dos combustíveis e possível confisco de dividendos dos acionistas para segurar os preços para os consumidores.

Bolsonaro anunciou hoje que a Petrobras promoverá novo aumento de combustíveis daqui a 20 dias durante entrevista com jornalistas.

Em informação contraditória e truncada, o mandatário prometeu usar os dividendos pagos pela estatal para conter o avanço de preços. Bolsonaro também voltou a defender a privatização da petrolífera.

A Petrobras desmentiu o presidente da República logo em seguida em um comunicado relevante ao mercado. Segundo a direção da empresa, ela não antecipa decisões de reajuste e reforça que não há nenhuma decisão tomada.

Ou seja, a Petrobras disse que Bolsonaro não manda na companhia e que continuará aumentando os combustíveis com base na variação cambial e na cotação internacional do petróleo.

Bolsonaro viajou para a Itália para reunião do G20, no entanto, segundo a imprensa italiana, ele gazeteou o encontro para fazer turismo –e realizar reuniões políticas com a extrema direita italiana.

Petrobras sobre notícias veiculadas na mídia

A Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, em relação às notícias veiculadas na mídia a respeito de expectativa de novos reajustes nos preços de combustíveis, esclarece que ajustes de preços de produtos são realizados no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes.

A Petrobras reitera seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais.

A Petrobras monitora continuamente os mercados, o que compreende, dentre outros procedimentos, a análise diária do comportamento de nossos preços relativamente às cotações internacionais.

A Petrobras não antecipa decisões de reajuste e reforça que não há nenhuma decisão tomada por seu Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP) que ainda não tenha sido anunciada ao mercado.

Para conferir transparência à sua gestão comercial, a Petrobras anuncia os ajustes de preços a seus clientes por meio do site Canal Cliente (www.canalcliente.com.br ) e, aos demais públicos de interesse, por meio do site www.agenciapetrobras.com.br.

Em atendimento à Resolução 795/2019 da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Companhia também divulga a tabela de preços atualizada por localidade e modalidade de venda em seu site www.petrobras.com.br.

A Companhia esclarece, ainda, que a influência do movimento do mercado internacional de petróleo e da taxa de câmbio nos preços de seus produtos é constantemente analisada pelos participantes do mercado e noticiada pela imprensa. Além disso, no anúncio de reajuste de preços de diesel e gasolina, realizado no dia 25/10/2021 através de comunicado à imprensa, a Petrobras informou que os ajustes refletiam parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e da taxa de câmbio.

Leia também

Resultado do roubo na Petrobras: R$ 32 bilhões para acionistas somente em 2021

Em busca de trégua com a velha mídia, Bolsonaro sinaliza com a privatização da Petrobras

Venezuela tem a gasolina mais barata do mundo; 50 litros custa R$ 6,50 no país de Nicolás Maduro