Ratinho Junior envia à ALEP projeto que abre brecha para privatizar o Porto de Paranaguá; confira o texto

Ratinho Junior envia à ALEP projeto que abre brecha para privatizar o Porto de Paranaguá; confira o texto

O governador Ratinho Junior (PSD) encaminhou projeto à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) que abre brecha para a privatização do Porto de Paranaguá (APPA). A mensagem 97/2021 entrou na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), mas o deputado Tadeu Veneri (PT) pediu vista –adiando a votação a proposição do Palácio Iguaçu.

Ratinho pediu à ALEP autorização para que o governo do estado transforme a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), autarquia estadual criada nos termos da Lei n° 6.249, de 10 de novembro de 1971, em Empresa Pública, sob a mesma denominação, dotada de personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio e autonomia administrativa e financeira, vinculada à Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística. A pasta é ocupada pelo secretário Marcelo Rangel, o mesmo que cuida dos pedágios nas rodovias paranaenses.

O governador argumenta que a APPA deve ao erário R$ 100 milhões em virtude de precatórios e a mudança na personalidade jurídica permitiria ao tesouro reaver os valores.

Para os deputados da oposição na ALEP, no entanto, Ratinho Junior tem más intenções. Eles lembram que a Copel Telecom só foi privatizada porque era uma empresa pública. “Não tem como privatizar uma autarquia”, disse ao Blog do Esmael o deputado Arilson Chiorato (PT).

ATUALIZAÇÃO (07/10/2021 – às 14h10): a mensagem do governador Ratinho Junior é bastante confusa porque a Lei 17895, de 27 de Dezembro de 2013, aprovada no governo Beto Richa (PSDB), já transformou a APPA em empresa pública; com a palavra a ALEP.

Clique aqui para ler a proposta de privatização do Porto de Paranaguá.

Leia também

Vem aí a ‘CPI do Porto de Paranaguá’ na Assembleia Legislativa do Paraná

Vaza Porto: dossiê mostra esquema para derrubar presidente do Sindicato da Estiva de Paranaguá

Arilson Chiorato: “Estamos a um ano de votar 13” [Lula]