PT denuncia fraude de R$ 40 milhões na compra de uniformes nas escolas cívico-militares de Ratinho Junior

PT denuncia fraude de R$ 40 milhões na compra de uniformes nas escolas cívico-militares de Ratinho Junior

‘Quem roubou o meu queijo?’, pergunta o PT na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP).

A bancada estadual petista denuncia o descaso do governo Ratinho Junior (PSD) com o dinheiro público. Segundo os parlamentares do PT, houve fraude de R$ 40 milhões na compra de uniformes das escolas cívico-militares.

O partido afirma que os fardamentos foram fabricados no Paraguai, quando o estado do Paraná possui um dos mais importantes polos de confecções do País.

Além do PT, o deputado Soldado Fruet (PROS), nesta semana, denunciou que os uniformes são de baixa qualidade e que as alunas se recusam usar camisetas porque são transparentes.

Abaixo, leia a íntegra da nota do PT na ALEP:

Descaso com o dinheiro público

Estes são os uniformes das escolas cívico-militares de Ratinho Jr., que custaram R$ 40 MILHÕES aos cofres públicos. Lembrando que os proprietários da empresa que levou a bolada são sócios de quase 20 CNPJs com uma longa ficha corrida, incluindo envolvimento na máfia dos uniformes em São Paulo, processo por improbidade administrativa pelo MP de Roraima, multas milionárias e entregas fraudulentas.

O deputado Tadeu Veneri já alertou sobre as irregularidades na aquisição de uniformes para escolas militares. Ele questionou o edital ganho pela Triunfo e apontou que ela é usada como empresa de fachada.

Segundo o parlamentar, a Secretaria Estadual de Educação, ao escolher as especificações dos uniformes a serem adquiridos, não se baseou em nenhum modelo conhecido, “mas estranhamente procurou a empresa Nilcatex que tem os mesmos sócios da Triunfo S.A (que venceu todos os lotes da licitação), para fazer a cotação dos uniformes”.

Além disso, a Administração Estadual, através da Secretaria Estadual de Administração e Planejamento, inseriu no edital de licitação várias estratégias para garantir que a Triunfo se consagrasse vencedora.

Leia também

Caravana Requião chega no sábado em Ponta Grossa

Guerra do Contestado, os 109 anos de um massacre esquecido pela história brasileira

Fake news que cassa Francischini também cassa Bolsonaro será a máxima no TSE; entenda o caso