Geraldo Brindeiro era conhecido como "Engavetador-geral da República" na época de FHC. Ele morreu aos 73 anos de Covid

O ex-procurador-geral da República Geraldo Brindeiro, 73 anos, morre de Covid

O ex-procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, morreu nesta sexta-feira (29/10), aos 73 anos, por complicações da Covid, em um hospital de Brasília.

Brindeiro ocupou o cargo de PGR por oito anos nos governos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de 1995 a 2003. Nessa época, os opositores do tucano diziam que o PGR era o “Engavetador-geral da República” por não admitir denúncias contra o tucano. Atualmente, era subprocurador.

Recentemente, o atual PGR Augusto Aras foi comparado com Brindeiro ao ser chamado de “Engavetador-geral da República” do presidente Jair Bolsonaro.

Geraldo Brindeiro nasceu no Recife no dia 29 de agosto de 1948. Formou-se em direito pela Faculdade de Direito do Recife em 1970. Fez pós-graduação na Universidade de Brasília (UnB), especializando-se em direito tributário na Constituição Federal e alteração do contrato de trabalho. Também era mestre e doutor em direito pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Foi assessor jurídico do tio, ministro Djaci Falcão, no STF, entre fevereiro de 1971 e março de 1973. Foi professor de direito civil e constitucional da Faculdade de Direito do Distrito Federal. Em 1975, passou a integrar o Ministério Público Federal.

Leia também

Carluxo recebe foto de Ratinho Junior “chifrando” o velho Bolsonaro com Pacheco

De longe, Weintraub mostra “valentia” contra judiciário [vídeo]

Resultado do roubo na Petrobras: R$ 32 bilhões para acionistas somente em 2021